Produtor Harvey Weinsten enredado em denúncias de assédio e violação

| Mundo

|

Sucedem-se as queixas de atrizes famosas contra o produtor Harvey Weinstein, que está ser acusado de assédio e violação. A academia britânica decidiu suspender a ligação com o produtor. Em Hollywood, a academia reúne-se no sábado para analisar o caso.

A Academia Britânica de Cinema e Televisão (BAFTA) decidiu quarta-feira suspender a sua associação ao produtor cinematográfico Harvey Weinstein face às alegações de assédio sexual que é alvo.

Este foi o mais recente episódio que começou uma investigação do The New York Times. Segundo o jornal, as queixas de assédio sexual remontam à década de 1990. As atrizes angelina Jolie e Gwyneth Paltrow foram as últimas a confirmar episódios em que Weinstein teve uma conduta reprovável.

Segundo a agência Associated Press, Angelina Jolie terá mesmo deixado de trabalhar com o produtor de Hollywood desde a sua participação no filme “Entre Estanhos e Amantes” em 1998.

Várias celebridades do mundo do cinema como Meryl Streep, Kate Winslet, Judi Dench e Jennifer Lawrence, já condenaram o comportamento de Harvey Weinstein.

Três outras mulheres, incluindo a atriz italiana, Asia Argento, acusaram o produtor de as ter violado segundo um artigo online da revista The New Yorker. Uma notícia que foi de imediato desmentida pelos advogados do produtor.

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas norte-americana, que organiza os óscares, anunciou que vai reunir-se no próximo sábado para tomar uma posição contra um caso que para já classifica como “abominável e antiético com os altos padrões da Academia e da comunidade Criativa que ela representa.
Reações chegam à política
O caso que veio abalar o mundo das artes cinematográficas também mereceu a atenção da classe política.

Vários membros do partido trabalhista inglês enviaram uma carta à primeira-ministra, Theresa May, a solicitar que o título honorífico de Excelentíssima Ordem do Império atribuído ao produtor pela Rainha Isabel II, lhe seja retirado.

A ex-candidata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, escreveu no Twitter que o comportamento de Weinstein descrito pelas atrizes não poder ser tolerável.

O casal Obama emitiu um comunidado onde se lê: "qualquer homem que diminua as mulheres desta forma precisa de ser condenado e tido em conta, independentemente da riqueza e estatuto (...) É necessário construir uma cultura (...) que torne tais comportamentos menos predominantes no futuro", conclui o casal.
Caso termina com casamento de dez anos
A mulher de Harvey Weinstein, Georgina Chapman, confirmou à revista People que vai deixar o produtor, classificando como indesculpáveis as ações do marido, ao mesmo tempo que pediu privacidade para si e para os filhos.
 
O produtor Harvey Weinstein e a mulher, Georgina Chapman, na última gala dos óscares de Hollywood. Foto: Danny Moloshok - Reuters

O produtor e a fundadora da marca de luxo Marchesa conheceram-se em 2004 e estão casados desde 2007.



Tópicos:

Assédio, Hollywood, Jolie, Kate, Lawrence, Produtor, Sexual, Streep, Violação, Weinstein,

A informação mais vista

+ Em Foco

A Redação da RTP votou sobre as figuras e acontecimentos mais destacados, a nível nacional e internacional. Veja aqui as escolhas.

    O embaixador russo em Lisboa afirma, em entrevista à RTP, que as declarações e decisões de Donald Trump sobre Jerusalém podem incendiar todo o Médio Oriente.

    Rui Rosinha, bombeiro de Castanheira de Pêra, sofreu queimaduras de terceiro grau e esteve dez horas à espera de ser internado. Foi operado 14 vezes e regressou a casa ao fim de seis meses.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.