Ramón Ebalé, artista crítico do regime, detido na Quiné Equatorial

| Mundo

O artista e crítico do regime da Guiné Equatorial Ramón Esono Ebalé foi detido na noite de sábado em Malabo, aparentemente pela obra provocadora que visa muitas vezes o Presidente do país.

Fontes contactadas pela Lusa disseram que o cartoonista, premiado internacionalmente, foi detido na noite de sábado quando saía de um restaurante acompanhado do coordenador da cooperação espanhola na Guiné Equatorial e de um professor da escola espanhola.

O artista foi levado para a esquadra da polícia de Malabo, conhecida como "Guantanamo".

Ramón Esono Ebalé é um ativista dos direitos humanos e cartoonista muito crítico do regime de Teodoro Obiang já premiado internacionalmente e com exposições em países como a Argélia, Espanha (ARCO), Moçambique ou Etiópia. Viveu grande parte da vida em Malabo mas reside atualmente no Paraguai (estava de visita à capital da Guiné Equatorial).

Na Guiné Equatorial Ebalé foi professor de desenho no centro cultural francês, trabalhou para o centro cultural espanhol e já trabalhou como ilustrador para a UNICEF. É co-fundador da primeira revista africana de banda desenhada.

Tópicos:

Argélia, Guiné Equatorial,

A informação mais vista

+ Em Foco

O economista guineense Carlos Lopes considera que a Europa tem discutido as migrações e outras questões africanas, sem consultar os africanos.

    A revelação foi feita durante uma entrevista exclusiva à RTP à margem da cimeira de CPLP, que decorreu esta semana em Cabo Verde.

    Em entrevista à RTP, Graça Machel revela que o grande segredo de Nelson Mandela era fazer sentir a cada pessoa com quem falava que era a mais importante.

    Apesar da legislação contra estas situações, os Estados Unidos são dos países que mais importam produtos em risco de serem produzidos através de trabalhos forçados.