Recolher obrigatório decretado no Burkina Faso

por Lusa
Recolher obrigatório decretado no Burkina Faso Reuters

Um recolher obrigatório noturno foi hoje decretado no Burkina Faso, após uma revolta militar em vários quartéis para exigir a saída das chefias do Exército e uma resposta aos ataques jihadistas.

A medida, que entra em vigor entre as 20:00 locais de hoje (mesma hora em Lisboa) e as 05:30 de segunda-feira, foi anunciada na televisão nacional, segundo um jornalista da AFP.

Um decreto do presidente Roch Marc Christian Kaboré indicou depois que o recolher obrigatório será mantido "até nova ordem" e abrange "todo o território nacional".

O Ministério da Educação do Burkina Faso anunciou em comunicado que as escolas vão permanecer fechadas em todo o país nos próximos dois dias.

Uma revolta militar para exigir a saída das chefias do exército e uma resposta aos ataques jihadistas no país já levou a motins nas casernas e à destruição da sede do partido no poder, incendiada.

Segundo a AFP, o incêndio na sede do Movimento do Povo pelo Progresso (MPP) foi provocado por manifestantes que apoiam os militares revoltosos.

A polícia dispersou os manifestantes com recurso a gás lacrimogéneo.

Também segundo a AFP, hoje de manhã registaram-se vários motins em casernas para exigir a saída das chefias do exército e "meios mais adequados" para combater os ataques jihadistas que ocorrem no Burkina Faso desde 2015 e que o Governo não tem conseguido conter.

Tópicos
pub