Riade diz não saber onde está o corpo de Khashoggi

| Mundo

|

O ministro saudita dos Negócios Estrangeiros, Adel al-Jubeir, afirmou este domingo que não sabe "onde se encontra o corpo" do jornalista Jamal Khashoggi, considerando que a sua morte foi "um erro monumental".

"Descobrimos que foi morto no consulado [saudita em Istambul]. Não sabemos como, em detalhe. Não sabemos onde está o corpo", declarou o chefe da diplomacia saudita, a partir de Riade, em entrevista à televisão norte-americana Fox News.

"Os indivíduos que fizeram isso atuaram fora do seu campo de responsabilidade. Foi feito um erro monumental, agravado pela tentativa de o esconder", disse o ministro, acrescentando que o príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, "não foi informado" da operação, que não foi autorizada pelo poder.

O rei Salman "está determinado" em fazer com que os responsáveis pela morte do jornalista "prestem contas" e em "adotar procedimentos para os serviços secretos que impeçam a repetição de acontecimentos idênticos", indicou o ministro.

O chefe da diplomacia saudita apontou a ligação "estratégica" entre Washington e Riade para afirmar que "essa relação vai ultrapassar" o caso Khashoggi e as suas repercussões diplomáticas.

Jamal Khashoggi, de 60 anos, entrou no consulado da Arábia Saudita em Istambul, na Turquia, no dia 2 de outubro, para obter um documento para se casar com uma cidadã turca e nunca mais foi visto.

Khashoggi era apontado como uma das vozes mais críticas da monarquia saudita e residia nos Estados Unidos desde 2017, sendo colaborador do jornal The Washington Post.

Tópicos:

Istambul, Arábia Saudita , Jamal Khashoggi,

A informação mais vista

+ Em Foco

A Girl Move Academy existe há quatro anos com o objetivo de criar uma geração de mulheres líderes. É um “movimento de capacitação e investimento da mulher”.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      A menos de 100 quilómetros da fronteira com a Síria, a cidade turca de Gaziantep é uma terra de tradições e sabores.

      Fotografias da autoria do artista berlinense Martin Dammann lançam luz sobre o lado mais obscuro da Wehrmacht.