Risco de pobreza é o mais baixo de sempre em Portugal

por RTP

O risco de pobreza em Portugal é o mais baixo de sempre. O ano de 2017 trouxe melhorias às condições de vida da população. Mesmo assim, mais de uma em cada três pessoas não tinha capacidade para assegurar o pagamento de despesas inesperadas.

Os dados referem-se a 2017. Foi o ano com o menor número de pessoas consideradas pobres em Portugal desde 2003. É o nível mais baixo da última década. O retrato é conhecido no Dia Mundial para a Erradicação da Pobreza.

As taxas mais elevadas registaram-se em 2003, 2013 e 2014 quando a pobreza atingiu cerca de um em cada cinco indivíduos. Reflexo da crise que o país atravessava.

Em Portugal, a esmagadora maioria da população com 65 ou mais anos seria pobre sem transferências sociais. Mesmo após transferências sociais, quase 18 por cento vive numa situação de pobreza.

Os jovens com menos de 18 anos são o grupo etário que apresenta a mais elevada taxa de risco de pobreza, depois de transferências sociais. Mesmo no melhor ano eram quase 19 por cento.

Os números mostram ainda que em 2017, mais de uma em cada três pessoas não tem capacidade para assegurar o pagamento de despesas inesperadas.