Soyuz MS-16 regressa à Terra em segurança

por Lusa
Ivan Vagner - Roscosmos/Reuters

Um astronauta norte-americano e dois cosmonautas russos da Estação Espacial Internacional (EEI) regressaram à Terra, no Cazaquistão, após uma missão de 196 dias no espaço, anunciou a agência espacial russa Roskosmos.

A nave Soyuz MS-16, com o norte-americano Chris Cassidy (NASA) e os russos Anatoli Ivanichine e Ivan Vagner (Roskosmos) a bordo, aterrou a cerca de 150 quilómetros a sudeste da cidade cazaque de Zhezkazgan, às 3h54 em Lisboa, de acordo com as imagens difundidas pela agência espacial russa.

Os três tripulantes permaneceram seis meses na EEI, onde ficaram os cosmonautas russos Serguei Rizhikov e Serguei Kud-Sverchkov, bem como a astronauta norte-americana Kathleen Rubins, que dão assim início à 64.ª missão a bordo da plataforma orbital.

Na terça-feira, Cassidy entregou o comando da EEI a Rizhikov.

Os tripulantes da Soyuz MS-16 realizaram 3.136 órbitas à Terra, de acordo com a agência espacial norte-americana NASA.

Durante a missão na EEI, os três assistiram à chegada, em finais de maio, de Bob Benhken e Doug Hurley, a bordo da cápsula Cres Dragon da empresa de transporte aeroespacial SpaceX, do empresário Elon Musk.

Benhken e Hurley foram os primeiros astronautas da NASA a serem enviados para a EEI, a partir dos Estados Unidos e a bordo de uma nave e foguetão de fabrico norte-americano desde o fim do programa do vaivém espacial, em 8 de julho de 2011.

Os atuais três tripulantes na EEI, Rizhikov, Kud-Sverchkov e Rubins, vão assistir à chegada, prevista para 1 de novembro, da missão Crew-1 da SpaceX, que transportará os astronautas da NASA Mike Hopkins, Victor Glover, Shannon Walker, e o japonês Soichi Noguchi.

Tópicos
pub