Reportagem Tailândia. Mergulhadores suspendem resgate de menores presos em gruta

Os mergulhadores envolvidos no resgate na gruta de Tham Luang, no norte da Tailândia, conseguiram esta segunda-feira retirar mais quatro dos menores ali aprisionados. A operação foi entretanto suspensa. Quatro dos rapazes e o treinador permanecem no interior do complexo subterrâneo.

Fazer refresh a esta área
Clique aqui para atualizar

Concluímos aqui o acompanhamento minuto a minuto da operação de resgate na Tailândia.

15h00 - "Dois dias, oito wild boars"

A unidade de elite da Marinha tailandesa envolvida no resgate confirma no Facebook que foram retirados oito menores nos dois dias da operação.

"Dois dias, oito wild boars", escrevem, aludindo ao nome da equipa de futebol.

Ouvido pela RTP3, João Carreira, enviado especial da agência Lusa à Tailândia, sintetizou os desenvolvimentos deste segundo dia da operação de resgate na gruta de Tham Luang.


14h00 - O segundo dia do resgate

As autoridades revelam que, apesar da chuva de domingo, o nível da água não foi muito afetado dentro da gruta. Situação que permitiu a retirada de outras quatro crianças.


12h33 - Operação suspensa

À semelhança do que aconteceu no domingo, a operação de resgate foi esta segunda-feira interrompida após a retirada de quatro dos menores aprisionados na gruta tailandesa, avançou a estação norte-americana CNN, com base numa fonte envolvida nos trabalhos.

Permanecem no interior do complexo subterrâneo quatro dos 12 rapazes da equipa de futebol e o treinador.

13h03 - Oito resgatados

A agência Reuters noticia que foi avistada uma oitava pessoa a ser transportada numa maca à saída do complexo subterrâneo de Tham Luang. A CNN diz tratar-se de mais um dos rapazes da equipa de futebol retida na gruta.

12h48 - Sete crianças resgatadas

A equipa de mergulhadores retirou nas últimas horas o sexto e o sétimo dos menores retidos em Tham Luang, noticiam diferentes órgãos de comunicação internacionais.


Permanecem no interior do complexo subterrâneo o treinador e cinco rapazes.

12h38 - Isolamento

Os menores resgatados à gruta vão agora permanecer hospitalizados, em isolamento, durante um a dois dias, segundo autoridades sanitárias da Tailândia citadas pela CNN. Trata-se de uma medida de prevenção de eventuais infeções.



12h23 - Jornalista do britânico The Guardian avança que sexta criança foi retirada da gruta



11h55 - Menor transportado para helicóptero

Chegam as primeiras imagens da transferência do quinto rapaz resgatado à gruta de Tham Luang para um helicóptero.


11h00 - Socorristas retiram quinto rapaz

Um graduado da Marinha tailandesa, também citado pela Reuters, adianta que os socorristas retiraram da gruta o quinto menor.

Permanecem retidos sete rapazes e o treinador.

A notícia está a ser também veiculada pela norte-americana CNN.


10h47 - O estado das crianças já resgatadas

As autoridades tailandesas garantem que as quatro crianças que saíram da gruta no domingo estão bem de saúde. Os pais continuam, ainda assim, sem ter contacto com os filhos, uma medida de precaução enquanto se aguarda o resultado de análises clínicas.

10h28 -
A agência Reuters noticia, sem mais detalhes, que foi avistada, no local da operação de resgate, uma pessoa a ser transportada em maca para uma ambulância.

10h03 - Em síntese

Terminou o ponto de situação feito pelas autoridades tailandesas. Eis aqui o resumo dos principais dados:

  • Os mergulhadores voltaram a entrar na gruta de Tham Luang pelas 11h00 locais (5h00 em Lisboa);
  • As condições atmosféricas, com o regresso da chuva ainda no domingo, não fizeram subir o nível da água no complexo subterrâneo;
  • A célula de crise sugere que os primeiros rapazes a sair da gruta, ao segundo dia da operação, serão aqueles considerados mais fortes. Poderão estar livres entre as 19h30 e as 20h30 (13h30 ou 14h30 em Lisboa);
  • As autoridades tailandesas deixam críticas a parte da cobertura mediática da operação de resgate, denunciando a utilização de pelo menos um drone para captar imagens no local e a interceção de comunicações de socorristas e polícia.

9h28 - Otimismo

O ex-governador da província de Chiang Rai, à frente da célula de crise montada para o resgate em Tham Luang, mostra-se otimista quanto ao desfecho da operação em curso.



Narongsak Osottanakorn afirma mesmo que, "dentro de algumas horas, haverá boas notícias".

9h16 - Reforço de meios

O responsável pela célula da crise adianta que há mais operacionais envolvidos nos esforços de extração, face ao dispositivo da véspera.

Narongsak Osottanakorn explica que os nomes dos rapazes já resgatados não foram divulgados "por respeito pelas famílias cujos filhos continuam presos".

9h10 - Enorme desafio

Na edição desta segunda-feira do Bom Dia Portugal, Manuel Anselmo Assunção, do Centro Português de Atividades Subaquáticas, explicou que a respiração é desde logo um problema para as crianças, uma vez que é preciso treino e técnica.


9h00 - Mergulhadores voltam a entrar em Tham Luang


Pelas 10h30 locais (4h30 em Lisboa), o ministro tailandês do Interior, Anupong Paojinda, confirmou que está em curso a segunda fase da operação de retirada dos elementos da equipa de futebol Wild Boars que ainda permanecem no interior da gruta de Tham Luang, localizada na província setentrional de Chiang Rai, próxima da fronteira com Myanmar e o Laos.

Quatro dos 12 menores, com idades entre os 12 e os 16 anos, foram retirados no domingo. Falta extrair outros oito e o treinador, de 25 anos.

Paojinda explicava nas últimas horas que a segunda fase da extração seria confiada aos mesmos mergulhadores de elite, que já estão familiarizados com o trajeto e as condições da gruta. O ministro diria ainda que as crianças que no domingo ficaram para trás continuam, por enquanto, saudáveis. Estão a ser efetuados, todavia, exames médicos adicionais.

A operação mobiliza nesta altura 90 mergulhadores - 40 de nacionalidade tailandesa e meia centena de estrangeiros. A dificuldade deste socorro ficou patente na semana passada com a morte de um antigo mergulhador da Marinha tailandesa envolvido nos trabalhos.

Uma centena de jornalistas de vários países estão agora confinados a um centro de imprensa montado pelas autoridades tailandesas a aproximadamente dois quilómetros da gruta de Tham Luang.

Chuva, a inimiga

Foi a 23 de junho, após uma partida de futebol, que os 12 menores e o treinador entraram na gruta para explorar o local. Viram então a saída bloqueada por uma inundação causada pela chuva das monções.

Só ao fim de nove dias foram localizados pelas equipas de resgate. A câmara onde os rapazes ficaram aprisionados está a cerca de quatro quilómetros da entrada da gruta. Parte do trajeto até àquele local é percorrido debaixo de água e com visibilidade nula.

O principal desafio que se coloca aos socorristas é precisamente a chuva característica desta época do ano, que ameaça inundar por completo a complexa rede subterrânea de Tham Luang. É, em suma, uma corrida contra o tempo.

Por outro lado, o espaço exíguo dificulta as manobras dos mergulhadores, que têm de posicionar botijas de oxigénio ao longo do percurso até à saída.

Emissão da RTP3

Emissão da Antena 1

A informação mais vista