Taiwan avança com construção de submarinos e navios face à ameaça da China

| Mundo

Taiwan lançou hoje um projeto de conceção e construção de submarinos e navios de guerra numa cerimónia realizada na base naval de Tsoying, no sul da ilha, que contou com a Presidente Tsai Ing-wen.

Tsai presenciou a assinatura de um acordo de cooperação entre a Marinha, os estaleiros CSBC e o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Chung-Shan para o desenvolvimento e construção de submarinos e navios militares.

O projeto de construção de submarinos coincide com uma crescente retórica intimidatória por parte da China, tanto na frente política, para conseguir a união e combater a independência, como na militar, com o envio de barcos e aviões para as proximidades da ilha.

Segundo um relatório do Ministério da Defesa, apresentado na quinta-feira no Parlamento, Taiwan planeia aumentar os seus gastos em Defesa, adquirir equipamentos bélicos avançados aos Estados Unidos e intensificar o desenvolvimento de aviões, mísseis, submarinos e navios militares.

O desenvolvimento da sua própria frota de submarinos é um ponto importante na política de Defesa da Presidente Tsai face à recusa por parte dos principais fabricantes mundiais de submergíveis em vendê-los à Formosa devido à oposição chinesa.

A Presidente taiwanesa quer aliar o desenvolvimento de armas ao avanço tecnológico de Taiwan, por via da cooperação com o setor privado, e também promover a criação de empregos.

Atualmente, Taiwan dispõe de dois submarinos norte-americanos, relíquias da II Guerra Mundial, e de outros dois holandeses construídos no início da década de 1980.

Os Estados Unidos manifestaram há uns anos disponibilidade para cooperar no fornecimento de submarinos a Taiwan, mas o plano não saiu do papel devido a restrições aos fundos taiwaneses disponíveis, problemas técnicos e à pressão exercida por Pequim.

Taiwan espera contar com transferência de tecnologia norte-americana para o seu programa de desenvolvimento dos submarinos e navios militares, já que Washington é o principal fornecedor de equipamentos bélicos à ilha.

Tópicos:

Ciência, Tsai Ing,

A informação mais vista

+ Em Foco

No 20.º aniversário da Exposição Universal sobre os Oceanos, a Antena 1 e a RTP estiveram à conversa com alguns dos protagonistas do evento.

    Um dos mais conceituados politólogos sul-coreanos revelou à RTP o modo de pensar e agir de Pyongyang.

    Portugal foi oficialmente um país neutro na 2ª guerra Mundial. Mas isso não impediu que quase mil portugueses tivessem sido deportados, feitos prisioneiros ou escravos pelos nazis.

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.