Terceiro cidadão canadiano condenado à morte na China por tráfico de droga

por Lusa
Fred Dufour via REUTERS

Um terceiro cidadão do Canadá foi hoje condenado à pena de morte na China por produção e tráfico de drogas, anunciou um tribunal do sul do país, numa altura de tensão diplomática entre Otava e Pequim.

O cidadão canadiano, identificado em mandarim como Xu Weihong, foi julgado em primeira instância por "produção de drogas", segundo o Tribunal Intermédio de Cantão.

O porta-voz da diplomacia chinesa, Wang Wenbin, enfatizou à imprensa que o caso "não deve ter consequências para as relações entre a China e o Canadá".

As relações entre Otava e Pequim atravessam um período de renovada tensão desde a prisão, em dezembro de 2018, em Vancouver - a pedido dos Estados Unidos - de Meng Wanzhou, diretora financeira do grupo chinês das telecomunicações Huawei.

Acusada por Washington de ter violado as sanções contra o Irão, Meng está em liberdade condicional no Canadá, a partir de onde corre o risco de extradição para os Estados Unidos.

A China deteve dois canadianos logo a seguir à detenção de Meng: um ex-diplomata e um consultor, que são acusados de "ameaçarem a segurança nacional".

Em abril de 2019, um tribunal chinês condenou um cidadão canadiano identificado como Fan Wei à pena de morte por tráfico de drogas.

Em janeiro do mesmo ano, um tribunal condenou à pena de morte outro canadiano, Robert Lloyd Schellenberg, inicialmente condenado a uma pena de 15 anos de prisão, mas que a justiça chinesa considerou posteriormente ser uma sentença muito branda.

 

Tópicos
pub