Tiroteio em hospital na República Checa provoca várias vítimas

por RTP
Reuters

Seis pessoas morreram depois de terem sido alvejadas a tiro numa sala de espera de um hospital da cidade checa de Ostrava por um homem. O atirador suicidou-se no momento em que foi encontrado pela polícia, depois de uma caça ao homem.

O primeiro-ministro revelou que os disparos de uma arma de fogo foram efetuados por um homem, na sala de espera do hospital. O atirador disparou sobre pelo menos sete pessoas ao entrar no hospital.

“Quatro pessoas tiveram morte imediata na sequência do tiroteio e duas outras, feridas, acabaram por falecer, infelizmente”, declarou o primeiro-ministro Andrej Babis, na televisão pública.

O ministro do Interior, Jan Hamáček, confirmou que o tiroteio ocorreu no hospital universitário de Ostrava e nas buscas para encontrar o suspeito em fuga foram mobilizadas unidades especiais de polícia e um helicóptero.

 


A operação de caça ao homem começou no norte e estendeu-se a toda a República Checa. A polícia checa anunciou entretanto que um homem se suicidou no carro que as autoridades procuravam como parte da caça ao atacante.

“Apanhámos o autor. O homem de 42 anos deu um tiro na cabeça antes da polícia o interceptar. Ele está morto. Agradecemos ao público pela cooperação e assistência na caça ao homem”, escreveu a polícia no Twitter.

A polícia de Ostrava divulgou a foto do suspeito do tiroteio nas redes sociais, mas a publicação foi apagada depois de o suspeito se ter suicidado.

O ataque, cujas causas ainda se desconhecem, ocorreu às 07h00 (06h00 em Lisboa).

Em declarações à televisão checa CT24, o diretor do hospital afirmou que “o plano de emergência foi ativado", fechando o hospital.

As autoridades evacuaram o hospital e o campus da Universidade Técnica de Ostrava, que fica nas imediações.

pub