Trump diz que cimeira de Singapura "vai correr muito bem"

| Mundo

|

O Presidente norte-americano, Donald Trump, disse hoje que "as coisas vão correr muito bem" durante a cimeira com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, que se realiza na terça-feira.

"Como sabe, temos uma reunião muito interessante amanhã [terça-feira] e creio que vai correr muito bem", disse Trump no início de um almoço de trabalho com o primeiro-ministro de Singapura, Lee Hisien Loong.

De acordo com fontes da Casa Branca, a cimeira vai começar com um encontro a sós entre Donald Trump e Kim Jong-un, antes da entrada das respetivas delegações.

Trump agradeceu a Lee Hisien Loong a "hospitalidade e o profissionalismo" de Singapura.

Pouco antes do encontro com Lee Hisien Loong, o Presidente norte-americano difundiu uma mensagem através da rede social Twitter sobre o "ambiente de entusiasmo" em Singapura antes do encontro com o líder norte-coreano.

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, referiu, entretanto, que Donald Trump está "bem preparado" para a reunião com Kim Jong-un, depois de ter participado em sessões informativas durante a última semana.

"A posição dos Estados Unidos continua a ser clara. Não há mudanças", acrescenta Pompeo através de um comunicado.

"Até ao momento temos tido reuniões produtivas e detalhadas, incluindo a reunião de hoje de manhã com os norte-coreanos", diz ainda Pompeo.

O secretário de Estado referia-se ao encontro de duas horas, que decorreu hoje em Singapura, entre as delegações dos Estados Unidos e da Coreia do Norte, destinado a preparar a agenda da cimeira.

No encontro esteve presente o embaixador dos Estados Unidos nas Filipinas, Sung Kim, especialista nas questões relacionadas com o programa nuclear norte-coreano.

A Casa Branca anunciou hoje que a delegação que acompanha Trump inclui John Bolton, assessor para a Segurança Nacional que provocou um atrito político com Pyongyang quando declarou, em maio, que os Estados Unidos deveriam aplicar na Coreia do Norte o "modelo da Líbia", referindo-se ao acordo entre Washington e Tripoli de 2003.

Na altura, o acordo com a Líbia eliminou o programa de armamento de Tripoli em troca de incentivos económicos.

Encontram-se também em Singapura o chefe de gabinete da Casa Branca, John Kelly; a porta-voz de Trump, Sarah Huckabee Sanders; Mira Ricardel, do gabinete de John Bolton, e Matthew Pottinger, responsável pelo departamento Ásia, também do gabinete de Segurança Nacional.

A cimeira entre Donald Trump e Kim Jong-un deve começar às 09h00 de terça-feira (02h00 em Lisboa), no hotel Capella de Singapura.

Tópicos:

Bolton, Capella Singapura, Donald Trump Kim Jong, Lee Hisien Loong, Tripoli,

A informação mais vista

+ Em Foco

Uma semana após a extinção do incêndio de Monchique, a televisão pública esteve no barlavento algarvio com uma emissão especial sobre o cíclico flagelo dos incêndios e as alterações climáticas.

    Fãs de Aretha Franklin homenagearam a icónica cantora norte-americana em várias cidades dos Estados Unidos. A rainha da Soul morreu na manhã de quinta-feira na sua casa em Detroit.

      Uma parte central da Ponte Morandi, em Génova, Itália, desabou na manhã de terça-feira durante uma tempestade. Morreram dezenas de pessoas.

        Há uma nova rota turística pela cidade de Lisboa, baseada em memórias de lisboetas mais antigos. São beneficiários da Associação Mais Proximidade Melhor Vida.