Trump diz que cimeira de Singapura "vai correr muito bem"

| Mundo

|

O Presidente norte-americano, Donald Trump, disse hoje que "as coisas vão correr muito bem" durante a cimeira com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, que se realiza na terça-feira.

"Como sabe, temos uma reunião muito interessante amanhã [terça-feira] e creio que vai correr muito bem", disse Trump no início de um almoço de trabalho com o primeiro-ministro de Singapura, Lee Hisien Loong.

De acordo com fontes da Casa Branca, a cimeira vai começar com um encontro a sós entre Donald Trump e Kim Jong-un, antes da entrada das respetivas delegações.

Trump agradeceu a Lee Hisien Loong a "hospitalidade e o profissionalismo" de Singapura.

Pouco antes do encontro com Lee Hisien Loong, o Presidente norte-americano difundiu uma mensagem através da rede social Twitter sobre o "ambiente de entusiasmo" em Singapura antes do encontro com o líder norte-coreano.

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, referiu, entretanto, que Donald Trump está "bem preparado" para a reunião com Kim Jong-un, depois de ter participado em sessões informativas durante a última semana.

"A posição dos Estados Unidos continua a ser clara. Não há mudanças", acrescenta Pompeo através de um comunicado.

"Até ao momento temos tido reuniões produtivas e detalhadas, incluindo a reunião de hoje de manhã com os norte-coreanos", diz ainda Pompeo.

O secretário de Estado referia-se ao encontro de duas horas, que decorreu hoje em Singapura, entre as delegações dos Estados Unidos e da Coreia do Norte, destinado a preparar a agenda da cimeira.

No encontro esteve presente o embaixador dos Estados Unidos nas Filipinas, Sung Kim, especialista nas questões relacionadas com o programa nuclear norte-coreano.

A Casa Branca anunciou hoje que a delegação que acompanha Trump inclui John Bolton, assessor para a Segurança Nacional que provocou um atrito político com Pyongyang quando declarou, em maio, que os Estados Unidos deveriam aplicar na Coreia do Norte o "modelo da Líbia", referindo-se ao acordo entre Washington e Tripoli de 2003.

Na altura, o acordo com a Líbia eliminou o programa de armamento de Tripoli em troca de incentivos económicos.

Encontram-se também em Singapura o chefe de gabinete da Casa Branca, John Kelly; a porta-voz de Trump, Sarah Huckabee Sanders; Mira Ricardel, do gabinete de John Bolton, e Matthew Pottinger, responsável pelo departamento Ásia, também do gabinete de Segurança Nacional.

A cimeira entre Donald Trump e Kim Jong-un deve começar às 09h00 de terça-feira (02h00 em Lisboa), no hotel Capella de Singapura.

Tópicos:

Bolton, Capella Singapura, Donald Trump Kim Jong, Lee Hisien Loong, Tripoli,

A informação mais vista

+ Em Foco

A presidente do CNAPN diz que a chave está nos líderes das mesquitas e pede mais apoio do Alto Comissariado para as Migrações.

    Marco Aurélio de Mello considera que a prisão de Lula da Silva, após condenação em segunda instância, viola a Constituição brasileira.

      Sintra podia ser uma "mini Davos". A sugestão foi feita informalmente por um dos académicos que participou na reunião do BCE concluída em 20 de junho.

        Dados revelados no Digital News Report de 2018 do Reuters Institute.