Tunísia é o primeiro país árabe e 4.º mundial em número de divórcios

| Mundo

A Tunísia converteu-se no primeiro país árabe e quarto no mundo em número de divórcios, com uma média diária de 41, segundo o Ministério da Justiça tunisino, que divulgou hoje estatísticas sobre o tema.

Neste documento revelou-se que em 2016 houve 15.892 matrimónios desfeitos no país norte-africano, que tem uma população de 11 milhões de habitantes, o que dá uma média mensal de 1.248 e a mencionada diária de 41.

A maioria das ruturas de casamento ocorreu por decisão "unilateral", isto é, por decisão de um dos conjugues.

A lei islâmica, ou `sharia`, é mais indulgente com o homem, a quem não exige razões para acabar com o casamento nem requer o consentimento da esposa, sendo muito mais restritiva com a mulher.

Normalmente, quando é esta a tomar a iniciativa de acabar com a ligação matrimonial, perde os direitos de dote, ou compensação económica.

Esta compensação é calculada por um juiz e é reclamada pelo membro do casamento que não solicitou o divórcio.

Na Tunísia, este tipo de compensação costuma rondar os mil dinares (cerca de 350 euros), o que, juntamente com o facto de não ser requerida uma separação prévia, faz com que os números de divórcios sejam tão altos, segundo os analistas.

Esta estatística foi conhecida uma semana depois de a Agência Nacional de Família e População quantificar em mais 16 mil o número de abortos anuais, consequência na sua maioria de violações.

Este levantamento permitiu ainda apurar que 80% dos abortos são feitos por mulheres casadas e que um quarto do total é feito sem intervenção de médico.

Tópicos:

Tunes,

A informação mais vista

+ Em Foco

Os portugueses escolhem os seus representantes locais a 1 de outubro. Acompanhe aqui a campanha, os debates e toda a informação sobre as eleições Autárquicas.

    A deriva independentista do nacionalismo catalão está a revelar-se mais grave do que Madrid previa inicialmente. Temos posições que não permitem qualquer margem para diálogo e que conduziram o processo a um impasse.

    Um ensaio do LNEC e do Instituto Superior Técnico, no âmbito do KnowRisk, evidencia a importância da tomada de medidas preventivas. Veja os vídeos e compare os dois casos.

    A Alemanha aproxima-se da data do escrutínio de 24 de Setembro com uma economia próspera: muita exportação, muita construção, receitas fiscais abundantes, orçamentos públicos excedentários. O reverso da medalha é a degradação de condições sociais para uma parte significativa da população.