Turquia recebe primeira remessa de equipamentos russos de defesa

por RTP
Washington diz que a aquisição do sistema de mísseis não é compatível com a rede de defesa da NATO Vitaly Nevar - Reuters

As primeiras partes do sistema russo de mísseis S-400 para defesa aérea chegaram esta sexta-feira à capital turca de Ancara. A informação foi avançada pelo ministro da Defesa da Turquia e poderá contribuir para a escalada de tensão entre o país e os Estados Unidos, que tinham já ameaçado com sanções caso esta aquisição avançasse.

“A entrega das restantes partes do sistema continuarão a ser entregues nos próximos dias”, informou a direção da Indústria da Defesa da Turquia. “Assim que o sistema estiver pronto, começará a ser utilizado da forma determinada pelas autoridades competentes”.

A decisão da Turquia de adquirir sistemas russos de defesa solidifica os laços que se têm vindo a desenvolver entre os Presidentes Vladimir Putin e Tayyip Erdogan, mas poderá significar mais um retrocesso na relação entre Estados Unidos e Turquia num momento em que estes países não alcançam um consenso sobre questões como a das estratégias a adotar na Síria.Segundo o Ministério turco da Defesa, a primeira remessa do S-400 foi entregue na Base Aérea de Murtedout.

De acordo com Washington, a aquisição do sistema de mísseis não é compatível com a rede de defesa da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO, na sigla original).

Depois de se encontrar com Donald Trump na cimeira do G20 que decorreu no mês passado em Osaka, o Presidente Erdogan declarou, porém, que os Estados Unidos não planeavam impor sanções a Ancara pela aquisição do S-400.

Já o Presidente norte-americano defendeu que a Turquia não tem sido tratada de forma justa, mas não descartou a hipótese de impor sanções.

A Casa Branca considera que o novo sistema de defesa pode comprometer os caças norte-americanos Lockheed Martin F-35, que a Turquia tem ajudado a construir e que planeava, pelo menos até agora, vir a comprar.

Se foram aplicadas sanções, a Turquia pode mesmo ser expulsa do programa dos F-35, algo que Washington diz já ter começado a fazer, tendo interrompido o treino de pilotos turcos que decorriam nos EUA com estas aeronaves.

“Se a Turquia aceitar receber o S-400, não irá receber os F-35. É simples”, lançou no mês passado o secretário norte-americano da Defesa, Mark Esper.

Anunciados como “o futuro da aviação militar”, os F-35 constituem o sistema de armamento mais caro da história e combinam capacidades furtivas com velocidade extrema, agilidade e tecnologia.
Tópicos