Um morto e pelo menos três feridos em tiroteio em liceu nos Estados Unidos

| Mundo

Uma pessoa morreu e pelo menos três ficaram feridas num tiroteio numa escola secundária no estado norte-americano de Washington, anunciaram as autoridades, que indicaram que o autor dos disparos foi detido.

O tiroteio ocorreu cerca das 10:00 locais (18:00 em Lisboa), na escola Freeman de Rockford, uma pequena cidade a cerca de 500 quilómetros a leste de Seattle, a maior cidade do estado.

Segundo a cadeia local KREM, um estudante morreu e outros três foram transportados para o hospital, encontrando-se em situação estável.

O chefe dos bombeiros, Brian Schaffer, disse ao mesmo órgão que o suspeito do tiroteio foi detido.

No entanto, o jornal Spokesman Review referiu seis feridos e duas admissões no hospital, mas sem dar detalhes sobre o estado das vítimas.

Imagens publicadas nas redes sociais mostram os serviços de emergência a acorrer ao local, assim como muitos pais à porta do estabelecimento de ensino, aguardando notícias dos filhos, mas as autoridades pediram aos familiares para não se concentrarem no local.

"O tiroteio no liceu Freeman, esta manhã, partiu os nossos corações", lamentou o governador do estado de Washington, Jay Inslee, em comunicado.

A polícia de Spokane apenas indicou na rede social Twitter que as escolas do distrito de Freeman estavam "encerradas" devido a um "tiroteio" e que "múltiplos agentes e pessoal médico se deslocaram ao local".

"A segurança dos nossos estudantes é a nossa prioridade número um", afirmou a mesma fonte.

A polícia examinou o liceu cuidadosamente, disse o gabinete do xerife daquela pequena cidade, no Twitter.

Tópicos:

Freeman,

A informação mais vista

+ Em Foco

O novo líder do PSD promete dialogar com todos os partidos nesta legislatura, mas tem consciência de que dois anos é pouco tempo para apresentar todas as propostas que defende.

Abrir uma torneira e vê-la jorrar água. É um ato tão comum que nunca imaginamos um dia em que tal quadro possa desaparecer. Algo que está prestes a tornar-se realidade na África do Sul.

    Foram sinalizados casos de mutilação genital numa escola da Baixa da Banheira. Uma associação trabalha com turmas. Ainda há rapazes que defendem a "submissão" como "saudável".

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.