Ursula von der Leyen quer Comissão flexível, moderna e ágil

por RTP

A nova presidente eleita da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, anunciou esta terça-feira a distribuição de pastas pelo colégio de comissários por si escolhidos. A Comissão terá três vice-presidentes executivos, que lideram questões transversais como o clima, desafio digital e justiça social na economia. Von der Leyen quer uma Comissão Europeia que dê respostas com rapidez aos desafios que se colocam à Europa, assumindo uma preocupação fundamental com um novo ímpeto à democracia europeia.

Ursula von der Leyen elencou em conferência de imprensa todo o novo executivo que vai liderar, que conta com três vice-presidentes executivos - que são também comissários - e que vão ser responsáveis por pastas transversais como o Acordo Verde europeu (Frans Timmermans), Europa na era digital (Margrethe Vestager) e a uma “economia que trabalha para as pessoas” (Valdis Dombrovskis).
Margrethe Vestager e Frans Timmermans eram nomes que estiveram na corrida para a presidência da Comissão Europeia.
“Temos uma estrutura que se baseia nas tarefas, não nas hierarquias. Temos de ser capazes de apresentar resultados concretos nos temas que mais importam. É por isso que dei aos meus presidentes executivos uma dupla função. Serão simultaneamente vice-presidentes e comissários”, indicou.

A nova presidente quer uma Comissão que “seja liderada com determinação e que forneça respostas”. “Quero uma Comissão que seja flexível, moderna e ágil”, garantiu Von der Leyen, garantindo que o seu executivo “vai fazer o que diz”, facilitando a vida para as pessoas e empresas.



Ursula von der Leyen destaca a equipa partitária (13 mulheres, 14 homens), mas também geográfica e politicamente equilibrada. A nova presidente da comissão quer que todos os comissários visitem todos os Estados-membros, na primeira metade do mandato. Uma visita que lhes permita conhecer os países e "não apenas as capitais".

“Esta Comissão será uma comissão geopolítica. Quero que a União Europeia (UE) seja guardiã do multilateralismo”, evidenciou.

O clima é assumido como uma prioridade no novo Executivo, estabelecendo como objetivo que a Europa seja o “primeiro continente neutro a nível ambiental”.

Ursula von der Leyen prometeu um “pacto verde”, em que se inclui “a primeira legislação europeia sobre o clima” para atingir o objetivo de uma neutralidade climática até 2050, com o objetivo de reduzir as emissões de CO2 em 55%.

Ursula von der Leyen considerou ainda como preocupação fundamental dar “um novo ímpeto à democracia europeia”.
Brexit. "Início de uma nova relação"
O irlandês Phil Hogan, comissário europeu que sai da Agricultura e assume agora a pasta do Comércio, vai ter a responsabilidade de gerir as tensões comerciais com os Estados Unidos e de negociar um acordo de comércio com o Reino Unido, pós Brexit.

“Será um negociador justo, mas determinado”, argumentou a president da Comissão. “O Brexit, se chegar, não é o fim de algo, mas sim o início de uma nova relação”, reforçou.

A francesa Sylvie Goulard será a comissária do Mercado Interno, que englova a política industrial, o mercado único europeu, bem como a defesa.

O grego Margaritis Schinas, originária de um dos países que tem estado na primeira linha da chegada de migrantes, vai supervisionar as questões migratórias.

A lista dos comissários designados para o executivo comunitário 2019-2024 e respetivas pastas:
Presidente: Ursula von der Leyen, Alemanha (PPE).

Vice-presidente executivo para o Pacto Ecológico para a Europa: Frans Timmermans, Holanda (S&D)

Vice-presidente executiva para a Era Digital e comissária da Concorrência: Margrethe Vestager, Dinamarca (Renovar)

Vice-presidente executivo para uma Economia ao Serviço das Pessoas e comissário dos Serviços Financeiros: Valdis Dombrovskis, Letónia (PPE)

Vice-presidente para Uma Europa mais forte na cena mundial e Alto Representante da União Europeia para a Política Externa: Josep Borrell, Espanha (S&D)

Vice-presidente para os Valores e Transparência: Vera Jourova, República Checa (Renovar)

Vice-presidente para a Proteção do modo de vida europeu: Margaritis Schinas, Grécia (PPE)

Vice-presidente para as Relações interinstitucionais e prospetivas: Maros Sefcovic, Eslováquia (S&D)

Vice-presidente para a Democracia e demografia: Dubravka Suica, Croácia (PPE)

Comissário do Orçamento e Administração: Johannes Hahn, Áustria (PPE)

Comissário da Justiça: Didier Reynders, Bélgica (Renovar)

Comissária da Inovação e Juventude: Mariya Gabriel, Bulgária (PPE)

Comissária da Saúde: Stella Kyriakides, Chipre (PPE)

Comissário para a Gestão de Crises: Janez Lenarcic, Eslovénia (Renovar)

Comissária da Energia: Kadri Simson, Estónia (Renovar)

Comissária para as Parcerias Internacionais: Jutta Urpilainen, Finlândia (S&D)

Comissária do Mercado Interno: Sylvie Goulard, França (Renovar)

Comissário da Política de Vizinhança e Alargamento: László Trócsányi, Hungria (PPE)

Comissário do Comércio: Phil Hogan, Irlanda (PPE)

Comissário da Economia: Paolo Gentiloni, Itália (S&D)

Comissário do Ambiente e Oceanos: Virginijus Sinkevicius, Lituânia (Verdes)

Comissário do Emprego: Nicolas Schmit, Luxemburgo (S&D)

Comissária da Igualdade: Helena Dalli, Malta (S&D)

Comissário da Agricultura: Janusz Wojciechowski, Polónia (ECR)

Comissária da Política de Coesão e Reformas: Elisa Ferreira, Portugal (S&D)

Comissária dos Transportes: Rovana Plumb, Roménia (S&D)

Comissária dos Assuntos Internos: Ylva Johansson, Suécia (S&D)

(O Reino Unido não designou qualquer candidato, uma vez que mantém a intenção de abandonar a UE em 31 de outubro, véspera da entrada em funções da nova Comissão Europeia).
Tópicos