Venezuela: detido e libertado horas depois presidente do parlamento

| Mundo

Em Atualização
|

O presidente da Assembleia Nacional venezuelana, Juan Guaido, foi detido pelos serviços secretos, mas libertado pouco depois.

Os serviços secretos venezuelanos detiveram o Presidente do Parlamento, mas libertaram-no horas depois.

Durante a manhã, a mulher de Juan Guaidó revelou que o marido tinha sido detido a caminho de um comício. "O SEBIN [Serviço Secreto Bolivariano de Informações] prendeu Juan Guaido", escreveu Fabiana Rosales, esposa do presidente do Parlamento na sua conta de Twitter.

Os deputados que aguardavam Guaido para a reunião que iria decorrer a cerca de 40 quilómetros de Caracas também confirmaram a sua detenção.

Pouco tempo depois surgiu uma mensagem na conta oficial de Juan Guaido no Twitter: "Alertamos o mundo e o país que hoje, 13 de janeiro, o comando do SEBIN deteve o presidente da Assembleia Nacional e não sabemos onde se encontra".

Pouco tempo depois, fonte do parlamento venezuelano anunciou a libertação do principal opositor do regime de Nicolas Maduro.

A situação está a ser interpretada como um aviso a Guaidó que recentemente acusou o Presidente da Venuzuela de usurpação ilegítima do poder e se disponibilizou para assumir a liderança do país.

Nicolas Maduro tomou posse esta semana para mais seis anos de mandato.

(C/ Lusa)

 

Tópicos:

Guaido, SEBIN [Serviço Secreto Bolivariano,

A informação mais vista

+ Em Foco

A Festa dos Tabuleiros regressa às ruas da cidade de Tomar. Um longo desfile em que 750 tabuleiros são transportados por mulheres.

    Os líderes europeus não chegaram a acordo sobre quem deve liderar a União nos próximos cinco anos.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.