Violência durante manifestação em Paris fez 133 feridos e 412 detidos pela polícia

| Mundo

A violência que ocorreu no sábado em Paris durante a manifestação dos "coletes amarelos" provocou 133 feridos e 412 pessoas foram detidas, das quais 378 ficaram sob custódia policial, segundo dados de hoje da polícia francesa.

Entre os 133 feridos, 23 são polícias, detalhou a sede da polícia de Paris.

Durante todo o dia de sábado, Paris foi palco de grande violência urbana no oeste e no centro da capital francesa durante a manifestação dos "coletes amarelos".

O Presidente francês, Emmanuel Macron, convocou para hoje uma reunião de emergência do executivo ao mais alto nível para discutir os incidentes de sábado em Paris durante a manifestação dos "coletes amarelos", que já se tornou uma crise política de grandes proporções.

Macron deverá chegar no final da manhã da Argentina, onde participou na cimeira do G20, e vai reunir-se com o primeiro-ministro, Edouard Philippe, com o ministro do Interior, Christophe Castaner, e "os serviços competentes" para tentar encontrar uma resposta ao movimento que já está fora do controlo.

O movimento de "coletes amarelos" nasceu espontaneamente num sinal de protesto contra a taxação de combustíveis em França.

As ações de contestação estão a causar grande embaraço ao Governo francês, tendo corrido mundo as imagens dos violentos confrontos entre manifestantes vestindo coletes amarelos e a polícia, no sábado, na emblemática avenida dos Campos Elíseos, em Paris.

As reivindicações dos coletes amarelos não mudaram, mesmo depois do Presidente Emmanuel Macron se ter dirigido à nação na passada terça-feira.

A grande carga de impostos, perda do poder de compra e desilusão geral com o Governo são as queixas mais comuns entre quem está a manifestar nas ruas do país.

Tópicos:

Campos Elíseos, Paris,

A informação mais vista

+ Em Foco

O ministro dos Negócios Estrangeiros considera, em entrevista à Antena 1, que Portugal tem a vantagem de não ter movimentos populistas organizados.

    A enviada-especial da RTP foi à fronteira para perceber como se vive hoje entre a Irlanda do Norte e a República da Irlanda.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

        Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.