Vladimir Netto desfia no livro "Lava Jato" o processo que levou Lula à cadeia

| Mundo
Vladimir Netto desfia no livro Lava Jato o processo que levou Lula à cadeia

Foto: Blog Sala de TV/DR

"Tranquilo mas indignado". Este é o sentimento que o antigo Presidente brasileiro, Lula da Silva, descreve numa carta enviada aos advogados. É a primeira mensagem dirigida ao público desde que se entregou à polícia há nove dias, em Curitiba.

Uma detenção que surge no seguimento do caso Lava Jato, que investiga crimes de corrupção em empresas brasileiras, em particular a petrolífera Petrobras.

Vladimir Netto, jornalista da Globo em Brasília, esteve durante 17 meses a recolher informações da investigação do maior escândalo de corrupção do Brasil, que culminam num livro intitulado “Lava Jato”.

O jornalista afirma nesta entrevista à Antena 1 que ninguém no Brasil está contente com o que se está a passar, mas admite que, se há suspeição e a investigação determina a condenação, assim deve ser feito.

Vladimir Netto fala de uma mudança de paradigma na sociedade brasileira, apesar da resistência política. O Brasil, estima o jornalista, já mudou. Resta saber qual o desfecho.

A informação mais vista

+ Em Foco

O antigo procurador-geral da República do Brasil revelou à RTP que já recebeu várias ameaças de morte e defendeu uma reforma profunda do sistema político brasileiro.

Quando Ana Paula Vitorino indicou Lídia Sequeira, a economista ainda era gerente da sua empresa, o que viola a lei em matéria de incompatibilidades e o dever de imparcialidade.

Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

    O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.