Alexandre Brito

2020: Biden Vs Trump

Faltam dois anos para as próximas presidenciais norte-americanas. Caso nada aconteça até lá, serão em novembro de 2020. Trump, uma vez mais, se nada acontecer até lá, será o candidato Republicano. Do lado dos Democratas ainda muitas dúvidas. Mas o regresso de Joe Biden ao Instagram pode ser o primeiro forte sinal de que o vice-presidente de Obama quer avançar.

Num mundo cada vez mais digital, a presença numa rede tão forte como o Instagram é obrigatória para quem se quer candidatar a Presidente dos Estados Unidos da América.


Bem sei que Trump prefere o Twitter. É a sua marca digital. Um espaço onde em poucas palavras consegue atingir milhões de pessoas e assustar mais umas quantas na Casa Branca.

Mas a próxima batalha passará pelo Instagram.

Joe Biden sabe disso. E assumindo que quer ser o candidato do Partido Democrata para derrotar Donald Trump, voltou a essa rede.

Uma foto apenas, pelo menos até ao momento em que escrevo este texto, e uma partilha cirúrgica de Pete Souza, o fotógrafo de Obama durante a sua presidência, estão a transformar a conta de Joe Biden no Instagram num sucesso instantâneo. 

Em poucas horas são centenas de milhares de pessoas que já a seguem.

Joe Biden nunca assumiu que será candidato em 2020. Mas também nunca recusou a ideia.

Por estranho que possa parecer, a abertura desta conta será mesmo o sinal mais claro de que vai ser candidato.

E consegue derrotar Trump? 

Está, na minha opinião, dependente de apenas uma coisa. "The economy, stupid", a frase pendurada por James Carville, assessor de Clinton, na sede de campanha presidencial de 1992. O que ele queria era que todos da equipa estivessem focados em passar a mensagem de que a economia estava mal e que Clinton ia dar a volta. Ganhou assim. Trump também.

A verdade é que para já a economia norte-americana está em força. Resta saber se aguenta até 2020. 

A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

        Os novos desenvolvimentos no diferendo comercial entre os Estados Unidos e a China vieram lançar ainda mais dúvidas sobre os próximos passos que os dois lados poderão adotar.