João Fernando Ramos

Ganhar relevância

Mário Centeno vai mesmo tentar chegar à liderança do Eurogrupo, uma posição que coloca Portugal num outro patamar. Temos todos memória dos tempos em que éramos olhados como um país que não conseguia tomar conta de si, regularmente visitado por uma arrogante Troika, que até dava conferências de imprensa a dizer o que se devia fazer, num tom muitas vezes pouco digno para o país que tentavam tutelar.

Centeno começou desajeitado na imagem, com algumas polémicas e casos que até levaram muitos a pedir o seu afastamento do Governo. As coisas mudaram com o tempo e com os resultados e o mesmo Centeno está agora a um curto passo de assumir um papel relevante neste espaço comum. 


É um bom académico que marca a diferença na política e será também uma lição para os que sempre duvidam destas chegadas aos governos de pessoas verdadeiramente fora de série e muito competentes. 

Há mais exemplos de pessoas assim, que a política tenta sempre hostilizar, não percebendo que são estes os portugueses que melhor estão preparados para encontrar um outro caminho para este país, frequentemente remetido ao fado de achar que nada é possível. Num momento de pressão constante e grande escrutínio da vida política com a ferocidade das redes sociais, que têm uma imensa capacidade de fazer julgamentos sumários, tantas vezes tremendamente injustos. 

Centeno, sem entrar em questões políticas, é um belo exemplo do que se consegue fazer, até na política, com conhecimento e determinação. 

Portugal já ficou largamente a ganhar.

A informação mais vista

+ Em Foco

A Redação da RTP votou sobre as figuras e acontecimentos mais destacados, a nível nacional e internacional. Veja aqui as escolhas.

    O embaixador russo em Lisboa afirma, em entrevista à RTP, que as declarações e decisões de Donald Trump sobre Jerusalém podem incendiar todo o Médio Oriente.

    Rui Rosinha, bombeiro de Castanheira de Pêra, sofreu queimaduras de terceiro grau e esteve dez horas à espera de ser internado. Foi operado 14 vezes e regressou a casa ao fim de seis meses.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.