João Fernando Ramos

Um carrilhão a cair

Mafra está no roteiro do património que o Jornal 2 está a fazer, apontando bons exemplos de preservação da nossa memória, mas também alertando para o que temos urgentemente que fazer. Na preparação destas emissões ficou claro que é preciso mesmo uma maior celeridade nas decisões e um orçamento na cultura que permita uma gestão consciente de toda esta nossa memória.

Mafra teve uma intervenção recente, com a renovação da sala do trono, uns acertos no telhado e na basílica, mas ainda falta o majestoso carrilhão.

Seria um crime deixar aqueles sinos cair, destruindo milhares de euros e um instrumento que nunca mais seria o mesmo.

O curioso é que o caso sobe ao palco mediático quando a RTP se cruza com um vistoso conjunto de fitas que afastava as pessoas da zona. A pressão levará os decisores a salvar o carrilhão.

Se isso acontecer, já valeu a pena a informação da RTP ter lançado este roteiro.

Já agora, bem mais perto dos centros de decisão, há trabalhos fundamentais a fazer no Palácio Nacional da Ajuda, onde chovia na bela sala do trono há muito pouco tempo.

Mas é preciso atrair mecenas, mudar mentalidades para se gastar mais no que herdamos de melhor e ter depois uma inteligente ocupação destes belos, mas dispendiosos espaços.

Neste roteiro, estaremos na próxima terça feira no Museu da Ciência em Coimbra e na Biblioteca Joanina, onde também há muito para fazer. No dia 20 em Mafra.

A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em 1995, dois estudantes desenvolveram um motor de pesquisa. Dois anos depois, Andy Bechtolsheim passou um cheque no valor de 100 mil dólares. Nesse dia, fez-se história: a Google nasceu.

        Os novos desenvolvimentos no diferendo comercial entre os Estados Unidos e a China vieram lançar ainda mais dúvidas sobre os próximos passos que os dois lados poderão adotar.