Minsk2019. K4 500m masculino ficou à beira do bronze

por Mário Aleixo - RTP
O quarteto português, em segundo plano na foto, ficou à beira do bronze Reuters-Vasily Fedosenko

A equipa portuguesa de canoagem de K4 500m ficou em quarto lugar na final dos II Jogos Europeus, de Minsk.

O K4 500 metros, composto pelos canoístas Emanuel Silva, João Ribeiro, Messias Baptista e David Varela, foi quarto a 255 milésimos de segundo do bronze.

O quarteto luso, que passou a meio da prova no terceiro lugar, a 490 milésimos da liderança, concluiu em 1.33,976, a 1,600 segundos do ouro da Rússia, que bateu a Alemanha por 165 milésimos.
Rescaldo da prova

"O quarto lugar foi bom resulto dada a preparação que estamos a fazer, com foco no Mundial. Claro que é sempre o que nenhum atleta deseja, pois gosta de estar nas medalhas, mas isto foi uma prova muito difícil, com vento de frente que a tornou mais comprida. Estivemos bem, não há que perder o foco. Sabemos o caminho que estamos a percorrer que é para o mundial", disse Emanuel Silva.



O "voga" e mais experiente atleta do K4 destacou os "bons indicadores" da tripulação, elogiou os "progressos semanais" de uma equipa "cada vez mais unida e sempre motivada" liderada pelo técnico Rui Fernandes.

"Os resultados aparecem e a autoestima aumenta, por isso precisamos deles. Saímos daqui de consciência tranquila, que estamos no caminho certo. O quarto lugar aponta para um rumo correto só temos de continuar focados, atletas em conjunto com o treinador, pois isto é a nossa segunda família e devemos continuar uma família unida e pronta para tudo. Venha o Mundial!", concluiu.

João Ribeiro garante que esta tripulação encara todas as regatas a pensar "tirar uma medalha, e nunca em ficar em quarto": "Vínhamos com esse objetivo, sabíamos que era possível. O quarto é um ótimo lugar sabendo o que fizemos nas últimas semanas".

"Temos feito mais volume (de trabalho) do que o normal, não preparámos bem Minsk2019. Não era possível fazer um pico de forma para aqui e daqui a oito semanas estarmos outra vez no mundial na melhor forma", explicou.

O jovem Messias Baptista ironizou com a "medalha de chocolate, aquela que ninguém gosta", assumindo que "perder por esta diferença é um bocado triste", ainda assim elogiou o "resultado sólido".

David Varela lamentou as "condições adversas" em que se disputou a final, com muito vento, admitindo que "com o cansaço não fica fácil segurar o barco", tornando, desta forma, a prova "mais longa do que o habitual".

O K4 500 já tinha conquistado a medalha de bronze no fim de maio na Taça do Mundo de Poznan, na Polónia, dando agora mais um bom indicador para os mundiais de agosto, que apuram para Tóquio2020.