Portugal vence Ucrânia e confirma vitória no grupo A do Euro2022 de futsal

por Lusa
Gerrit Van Keulen - EPA

A seleção portuguesa de futsal garantiu esta noite o pleno no Grupo A do Europeu2022, com um tangencial triunfo 1-0, frente à Ucrânia, que também se apurou para os quartos de final, na segunda posição.

Zicky, aos 37 minutos, apontou o único golo de uma partida equilibrada e com muitas oportunidades de golo, mas pouca eficácia, sobretudo devido aos dois guarda-redes, levando os campeões europeus e mundiais a ‘fecharem’ a fase de grupos com nove pontos, contra os três das outras seleções presentes – Ucrânia, Países Baixos e Sérvia.

Desta forma, Portugal medirá forças nos quartos de final com a ‘surpresa’ Finlândia, a realizar a sua primeira participação na prova, tendo sido segunda no grupo B, atrás do Cazaquistão, que encontra a Ucrânia, apurada pela diferença de golos.

A equipa das ‘quinas’ repetiu o mesmo ‘cinco’ inicial das primeiras duas partidas, com o capitão João Matos a cumprir a 175.ª internacionalização, enquanto a Ucrânia só apresentou 10 jogadores na ficha de jogo: dois guarda-redes e oito atletas de campo.

Num primeiro tempo sem golos, não faltaram oportunidades para aparecerem, tanto numa, como noutra baliza, durante uma etapa em que Portugal dispôs de mais posse de bola, mas foi a Ucrânia que teve as melhores oportunidades para o tento inaugural.

Nos primeiros minutos, Erick, Pany Varela, Zicky e Tomás Paçó tentaram apontar cedo o primeiro golo, sem sucesso, enquanto, do outro lado, Cherniavskyi atirou ao poste, na cara de André Sousa, que travou também o 'disparo' de Zhurba, numa boa defesa.

O guardião português voltou a estar em evidência na primeira parte, com mais duas grandes intervenções, desta feita a remates de Lebid e de Cherniavskyi, e os lusos, mais tranquilos, ameaçaram por Pany Varela, Bruno Coelho, Tomás Paçó e Tiago Brito.

Na segunda parte, foi a vez do guarda-redes ucraniano Tsypun dar o ar da sua graça, ao travar as tentativas de Afonso Jesus (24), Pany Varela (33) e Erick (34), ao passo que a Ucrânia apostou muito cedo no ‘5x4’ - faltavam 10 minutos -, embora sem sucesso.

Cherniavskyi era o elemento mais esclarecido do lado dos ucranianos, mas teve pouca sorte no momento de 'alvejar' a baliza, e o ‘nulo’, raro em jogos de futsal, teimava em permanecer, sobretudo face às consistentes exibições defensivas das duas formações.

O melhor jogador jovem de futsal do mundo, Zicky, acabou por decidir o jogo a favor dos lusos, aos 37 minutos, com um remate colocadíssimo, sem hipóteses para Tsypun.

A Ucrânia, apesar de estar em posição de apuramento, em segundo, face à derrota dos Países Baixos com a Sérvia, demonstrou vontade em resgatar o triunfo, para terminar na liderança do grupo A e evitar um dos favoritos (Cazaquistão), nos quartos de final, mas André Sousa voltou a 'agigantar-se' nos últimos segundos, com uma dupla defesa.

Jogo realizado na MartiniPlaza, em Groningen.

Ucrânia – Portugal, 0-1.

Ao intervalo: 0-0.

Marcador:

0-1, Zicky, 37 minutos.

Equipas:

- Ucrânia: Tsypun, Korsun, Zvarych, Cherniavskyi e Shoturma. Jogaram ainda, Siriy, Lebid, Zhurba e Abakshin.

Selecionador: Oleksandr Kosenko.

- Portugal: André Sousa, João Matos, Bruno Coelho, Pany Varela e Erick. Jogaram ainda, Tomás Paçó, Zicky, Tiago Brito, Afonso Jesus, Fábio Cecílio, Pauleta, André Coelho e Miguel Ângelo.

Selecionador: Jorge Braz.

Árbitros: Alejandro Martínez Flores e Juan José Cordero Gallardo (Espanha).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Shoturma (33) e Abakshin (40).

Assistência: Cerca de 650 espetadores.
Tópicos
pub