Tour: Simon Yates vence fuga ao sprint, Alaphillipe líder para o contrarrelógio

| Outras Modalidades

O ciclista britânico Simon Yates (Mitchelton-Scott) foi hoje o mais forte dos resistentes da fuga da 12.ª etapa da Volta a França, com o francês Julian Alaphilippe (Deceuninck-QuickStep) a manter a liderança na véspera do único contrarrelógio individual.

Membro de uma fuga com cerca de 40 unidades, na qual estava também o português Rui Costa (UAE-Emirates), que procura a sua quarta vitória em etapas no Tour, Simon Yates superiorizou-se sobre a meta ao espanhol Pello Bilbao (Astana) e ao austríaco Gregor Muhlberger (BORA-hansgrohe).

No primeiro dia nos Pirinéus, o trio isolou-se na segunda de duas contagens de primeira categoria do dia, instalada a cerca de 30 quilómetros da meta, e Yates bateu no reduzido 'sprint' os dois companheiros de fuga, concluindo em 4:57.53 horas os 209,05 quilómetros que ligaram Toulouse a Bagnères-de-Bigorre.

"Não estava muito confiante que podia vencê-los, pois não sabia quão rápidos eram, mas o meu diretor disse-me para passar a última curva no primeiro lugar e estou feliz por ter resultado. Ter vencido uma etapa nas três grades corridas internacionais faz-me sentir muito orgulhoso", congratulou-se Simon Yates.

Rui Costa, que perdeu o contacto com a frente da corrida na subida, acabou por se juntar ao grupo perseguidor e terminar a etapa na oitava posição, a 1.28 minutos de Yates.

Mesmo chegando a 9.35 minutos do primeiro e integrado no pelotão, Julian Alaphilippe defendeu-se bem no exigente teste e manteve a camisola amarela, tal como intacta a vantagem de 1.12 minutos sobre o britânico Geraint Thomas, que defende o título de 2018, e 1.16 sobre o colombiano Egan Bernal.

Os pretendentes ao triunfo final não atacaram na primeira etapa dos Pirenéus, talvez poupando-se para o contrarrelógio individual de sexta-feira, de 27,2 quilómetros com início e fim em Pau, e que pode ser decisivo nas contas finais do Tour.


A informação mais vista

+ Em Foco

O maior campo de refugiados na Europa fica na ilha grega de Lesbos. O campo de Moria alberga quase oito mil pessoas, três vezes mais do que a capacidade instalada. Reportagem RTP.

A receita da venda desta madeira ultrapassará os 15 milhões de euros, que devem ser investidos na nova Mata do Rei.

Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

    Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.