Van Aert triunfa após ‘caos’ do vento reforçar liderança de Alaphilippe

| Outras Modalidades

Legenda da Imagem
|

O belga Wout van Aert (Jumbo-Visma) venceu ao ‘sprint’ a 10.ª etapa da Volta a França em bicicleta, em que o vento provocou cortes no pelotão, beneficiando o francês Julian Alaphilippe (Deceuninck-Quick Step), que reforçou a liderança.

Van Aert, de 24 anos, cumpriu os 217,5 quilómetros entre Saint-Flour e Albi em 4:49.39 horas, batendo sobre a meta o italiano Elia Viviani (Deceuninck-Quick Step) e o australiano Caleb Ewan (Lotto Soudal), segundo e terceiro classificados, respetivamente.

Aos 24 anos, Van Aert deu a quarta vitória em etapas à Jumbo-Visma, que venceu a primeira tirada através do holandês Mike Teunissen, na segunda triunfou por equipas e conquistou a sétima etapa por intermédio do holandês Dylan Groenewegen.

Esta época, o campeão belga de contrarrelógio venceu duas etapas no Critério do Dauphiné, dando uma resposta que agora culminou num triunfo na ‘Grande Boucle’, o 11.º da carreira profissional.

“Não posso acreditar que bati aqueles ciclistas tão rápidos no ‘sprint’. Está acima de tudo. Tenho andado a sentir o peso da corrida nos últimos 10 dias, e ganho na minha primeira tentativa”, explicou, no final da tirada.

Num final “nervoso”, conseguiu manter-se na frente e, sem o ‘sprinter’ holandês e companheiro de equipa Dylan Groenewegen, teve a sua oportunidade, que conseguiu por “sair muito cedo” para a tentativa, num final em que “um centímetro chegou para bater Viviani”.

Num dia que se esperava sem ‘história’ na luta pela geral, o vento provocou cortes que o próprio Alaphilippe, ao liderar a seleção do pelotão, tratou de fazer contar para a geral, afastando favoritos como o francês Thibaut Pinot (Groupama-FDJ), o espanhol Mikel Landa (Movistar) ou o neozelandês George Bennett (Jumbo-Visma), entre outros.

O dia provocou mais estragos para os nomes que hoje perderam tempo do que a primeira etapa de alta montanha, no sexto dia em La Planche des Belles Filles, afastando também nomes como o italiano Giulio Ciccone (Trek-Segafredo), antigo camisola amarela e líder da juventude, ou o cazaque Alexey Lutsenko (Astana).

Alaphilippe lidera agora com uma vantagem de 1.12 minutos sobre o vencedor de 2018, o britânico Geraint Thomas (INEOS), e o colombiano Egan Bernal (INEOS), terceiro a 1.16.

O holandês Steven Kruiswijk (Jumbo-Visma) é quarto a 1.27, tomando a posição do colega de equipa Bennett, enquanto o britânico Adam Yates (Mitchelton-Scott), o colombiano Nairo Quintana (Movistar), o espanhol Enric Mas (Deceuninck-Quick Step) e o irlandês Dan Martin (UAE Emirates) entraram no ‘top 10’.

Os três portugueses em prova voltaram a ter um dia discreto, com Nelson Oliveira (Movistar), que ajudou Mikel Landa a minimizar as perdas, a subir ao 83.º posto, Rui Costa (UAE Emirates) a cair para 55.º e José Gonçalves a alcançar o 118.º.

Na terça-feira, cumpre-se o primeiro dia de descanso do ‘Tour’, que vai ser retomado na quarta-feira, com uma ligação de 167 quilómetros entre Albi e Toulouse.

A informação mais vista

+ Em Foco

Meio século depois, o Parlamento soviético dos finais da Guerra Fria repudiou o Pacto. Decorridos mais 30 anos, Putin quer reabilitá-lo.

    A receita da venda desta madeira ultrapassará os 15 milhões de euros, que devem ser investidos na nova Mata do Rei.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.