10 de Junho será como achei que deveria ser o 25 de Abril e o 1.º de Maio - Presidente da República

por Lusa

O Presidente da República afirmou hoje que a cerimónia do 10 de Junho em Lisboa, onde só haverá oito presenças, será como no seu entender deveria ter sido o 25 de Abril e o 1.º de Maio.

"Relativamente ao 10 de Junho, é como eu achei que devia ser o 25 de Abril, como eu achei que devia ser o 1.º de Maio. E como é organizado pelo Presidente da República, deve ser assim", declarou Marcelo Rebelo de Sousa à comunicação social, no Campo Pequeno, em Lisboa.

Interrogado se estava a criticar a Assembleia da República, o chefe de Estado respondeu: "Não, o parlamento esteve muito bem no 25 de Abril". Confrontado com a diferença em termos de números de pessoas, referiu que a sessão solene no parlamento "teve menos de cem, apesar de tudo".

Marcelo Rebelo de Sousa, que falava aos jornalistas antes de assistir ao espetáculo "Deixem o Pimba em Paz", tinha sido questionado sobre o motivo para a cerimónia do Dia de Portugal ter tão poucas pessoas, quando espetáculos como este juntam muitas mais.

Na resposta, o Presidente da República argumentou que a cerimónia do 10 de Junho "ou era assim, pequena, simbólica, ou passava para 500, 600, 700 pessoas, num espaço muito pequeno que é o claustro dos Jerónimos".

"A alternativa era haver Forças Armadas, centenas de militares, a prestar honras militares, a terem desfile e passagem de revista. Depois, de acordo com o protocolo, centenas de personalidades: embaixadores, altas individualidades", referiu, concluindo: "Foi uma escolha que foi feita".

pub