André Geraldes em liberdade após pagamento de caução de 60 mil euros

| País

André Geraldes manteve-se em silêncio à saída do Tribunal de Instrução Criminal do Porto
|

O diretor para o futebol do Sporting ficou em liberdade mediante o pagamento de uma caução no valor de 60 mil euros. Os quatro arguidos da operação CashBall que foram presentes a tribunal saíram em liberdade mas ficam suspensos de funções e proibidos de contactos entre si. Em causa está a investigação sobre viciação de resultados no andebol e no futebol. O Ministério Público confirmou entretanto à RTP a existência de mais três arguidos no processo.

O número de arguidos poderá ainda vir a aumentar, à medida que a Polícia Judiciária realiza os interrogatórios. Passam a ser assim sete os arguidos neste caso, sendo que quatro deles foram esta quinta-feira presentes ao tribunal de instrução criminal. 

Os quatro arguidos acabaram por sair em liberdade, mas ficam suspensos de funções e proibidos de contactar com os restantes. As medidas de coação foram conhecidas ao fim do dia.   
 
André Geraldes, braço direito de Bruno de Carvalho, que ocupou o lugar de diretor para o futebol do clube leonino, ficou em liberdade com o pagamento de uma caução de 60 mil euros.  
 
À saída do Tribunal de Instrução Criminal do Porto, André Geraldes, antigo responsável pelas modalidades do Sporting e atual “team manager”, manteve-se em silêncio. O advogado de defesa apenas confirmou as medidas de coação aplicadas.  
 
Paulo Silva, o intermediário que está a colaborar com a justiça desde março, está igualmente proibido de contactos com a comunicação social.  
 
O empresário foi o único que falou durante as seis horas de interrogatório, tendo confessado que corrompeu ou tentou corromper árbitros e jogadores adversários em dez jogos de andebol e oito de futebol.   
 
As detenções dos quatro arguidos aconteceram depois das buscas à SAD do Sporting, no Estádio de Alvalade, na passada quarta-feira. Meia centena de inspetores realizaram ainda buscas domiciliárias em várias zonas do país. 
Investigação estende-se ao futebol
A operação Cashball investiga alegadas suspeitas de corrupção de árbitros e jogadores de andebol e futebol para beneficiar o Sporting.  
 
Para além de André Geraldes e Paulo Silva, foram ainda detidos João Gonçalves e Gonçalo Rodrigues, também eles funcionários do clube.  
 
Em entrevista ao jornal Correio da Manhã, publicada na última terça-feira, o intermediário Paulo Silva confessava ter participado num esquema de corrupção, tendo subornado árbitros para favorecer a equipa de andebol do Sporting durante a época 2016/2017.
 
O Ministério Público viria depois a confirmar que o caso estava a ser investigado. No dia seguinte, após as buscas na Polícia Judiciária, confirmou-se que o alegado esquema chega também à esfera do futebol.  
 
As autoridades confirmam que está em curso a investigação de vários jogos da I Liga de futebol, em que terá havido tentativa de favorecer o Sporting.  
 
A operação CashBall decorre numa semana de grande agitação para o clube de Alvalade. Para além da investigação que decorre na justiça, está instalada a crise na própria cúpula do poder, com os vários pedidos de demissão do presidente Bruno de Carvalho após as agressões aos jogadores e equipa técnica de futebol na Academia de Alcochete.

Tópicos:

Alvalade, André Geraldes, Bruno de Carvalho, Operação CashBall, Sporting,

A informação mais vista

+ Em Foco

No 20.º aniversário da Exposição Universal sobre os Oceanos, a Antena 1 e a RTP estiveram à conversa com alguns dos protagonistas do evento.

    Um dos mais conceituados politólogos sul-coreanos revelou à RTP o modo de pensar e agir de Pyongyang.

    Portugal foi oficialmente um país neutro na 2ª guerra Mundial. Mas isso não impediu que quase mil portugueses tivessem sido deportados, feitos prisioneiros ou escravos pelos nazis.

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.