Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos surpreendida com declarações de responsável do IPO Porto

por Arlinda Brandão

Lusa

Manuel Luís Capelas não percebe as justificações dadas sobre o adiamento de cirurgias ao cancro.

Manuel Luís Capelas não percebe as declarações dadas já que o IPO do Porto prescindiu de uma das duas unidades de cuidados paliativos ao contratualizar camas para a rede nacional de cuidados integrados, o que obriga o IPO a receber doentes que não são oncológicos.