Atividade sísmica nos Açores continua com tendência decrescente

| País

|

A atividade sísmica na parte central da ilha de São Miguel mantém-se acima dos valores de referência, embora mostrando nas últimas horas uma tendência decrescente, anunciou hoje o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA).

Em comunicado, o SRPCBA refere que, segundo o Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores, "nas últimas horas" se tem vindo a evidenciar uma tendência decrescente, apesar de a atividade sísmica continuar "acima dos valores de referência".

"Desde as 23h47 de domingo foram registadas várias centenas de microssismos com epicentro entre as lagoas do Fogo e das Furnas, na sua maioria de magnitude inferior a 3 na escala de Richter", explica o documento.

O SRPCBA salienta que foram sentidos, até ao momento, 29 eventos, o mais forte dos quais ocorreu às 06h18, com magnitude 3,1 na escala de Richter, que foi sentido com intensidade máxima de V na escala de Mercalli Modificada.

"O último evento sentido foi registado às 13h02, com magnitude 2,0 na escala de Richter, e intensidade III na escala de Mercalli Modificada em Ponta Garça", acrescenta.

Tem sido na faixa entre Água de Pau e Povoação, a sul, e Rabo de Peixe e Fenais da Ajuda, a norte, que os eventos se têm feito sentir, sem registo de vitimas ou danos materiais reportados.

O SRPCBA informa que vai continuar a acompanhar a situação.

 

Tópicos:

Mercalli Modificada, Pau, Ponta Delgada, Rabo Peixe,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em entrevista à RTP, o candidato derrotado nas diretas do PSD diz que o partido deve serenar após o Congresso e admite que vai ser “muito difícil ganhar eleições" no quadro atual.

Nicolás Maduro quer alargar poderes e, para tal, leva a cabo eleições antecipadas. É um "golpe constitucional", na leitura de Filipe Vasconcelos Romão, comentador da Antena 1.

Abrir uma torneira e vê-la jorrar água. É um ato tão comum que nunca imaginamos um dia em que tal quadro possa desaparecer. Algo que está prestes a tornar-se realidade na África do Sul.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.