Ativistas exigem resposta de Portugal a "crimes" na Amazónia

| País
Ativistas exigem resposta de Portugal a crimes na Amazónia

Foto: Nacho Doce - Reuters

Na segunda-feira à tarde vão concentrar-se no largo de Camões, em Lisboa, mais de 40 associações que exigem ao Governo português uma posição contra aquilo a que apelidam “crimes” contra a humanidade e contra o planeta que estão a ser cometidos na Amazónia.

As associações pedem ao Governo português e à comunidade internacional que apliquem sanções comerciais ao Brasil.

“Quando o primeiro-ministro nos diz que o que nós temos de ter em relação ao Brasil é solidariedade e não uma discussão em termos de matéria de emergência e de pensar que tipo de sanções podem ser aplicadas ao comércio, parece-me que é uma atitude bastante medrosa”, declarou Rita Natálio, do Fórum Indígena de Lisboa, em declarações à Antena 1.

Rita Natálio sublinha que António Costa “não está a colocar a tónica onde ela devia estar” e argumenta que o que está a acontecer na Amazónia “não é um drama, são crimes”.

A informação mais vista

+ Em Foco

Uma sondagem da Universidade Católica aponta para o fim da hegemonia laranja na Madeira, apesar da vitória do PSD nas regionais (38%) do próximo domingo.

Na semana em que se assinala o início da II Guerra Mundial, a RTP conta histórias de portugueses envolvidos diretamente no conflito.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.