Avião Canadair chega hoje a Portugal proveniente de Marrocos - MAI

| País

Um avião Canadair chega hoje a Portugal proveniente de Marrocos para ajudar no combate aos incêndios na zona centro do país, disse à agência Lusa fonte oficial do Ministério da Administração Interna (MAI).

Hoje, a ministra da Administração Interna, Constança Urbano Sousa, tinha afirmado aos jornalistas que estavam a ser feitos contactos com Marrocos para disponibilizar os meios aéreos possíveis.

Segundo fonte oficial do MAI, Marrocos acaba de disponibilizar um avião Canadair, que chega ainda hoje a Portugal.

De acordo com a informação divulgada na página na Internet da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), a nível nacional lavravam, pelas 12:15 de hoje, três grandes incêndios nos distritos de Leiria e de Coimbra.

O incêndio que envolve mais meios no terreno continua a ser o de Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, que deflagrou na tarde de sábado e que se mantém em curso, encontrando-se a ser combatido por 1.223 operacionais, apoiados por 410 veículos e nove meios aéreos.

O fogo em Pedrógão Grande já provocou 64 mortos e mais de 150 feridos.

O incêndio começou na localidade de Escalos Fundeiros e alastrou depois a Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria.

Desde então, as chamas chegaram aos distritos de Castelo Branco, através do concelho da Sertã e de Coimbra, pela Pampilhosa da Serra.

Este incêndio já consumiu cerca de 26.000 hectares de floresta, de acordo com dados do Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais.

Outro dos principais incêndios a lavrar em Portugal é o fogo em Góis, no distrito de Coimbra, que deflagrou pelas 15:00 de sábado e que se mantém em curso, mobilizando 661 bombeiros, 228 viaturas e cinco meios aéreos.

Ainda no distrito de Coimbra, encontra-se em fase de resolução o incêndio de Penela, segundo a informação da Proteção Civil, indicando que o combate às chamas que lavram desde as 21:15 de sábado envolve 161 bombeiros, 51 viaturas e dois meios aéreos.

 

 

Tópicos:

Figueiró Vinhos Castanheira, Incêndios, Pampilhosa, Pedrógão, Proteção,

A informação mais vista

+ Em Foco

Houve aldeias ceifadas e vidas destruídas. O medo viveu ao lado de histórias de heroísmo. Contamos as estórias que agora preenchem dezenas de aldeias esquecidas, muitas pintadas a cinza.

    O incêndio de Pedrógão Grande provocou a morte de 64 pessoas e deixou mais de 200 pessoas feridas. Revisitamos os últimos dias com fotografias e imagens aéreas captadas com recurso a um drone.

      É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

      Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.