Banco Alimentar faz balanço positivo da campanha de recolha

por RTP

Foto: António Antunes - RTP

Os Bancos Alimentares contra a Fome recolheram 2085 toneladas de alimentos, durante o fim de semana em que decorreu a campanha nacional. A presidente da federação, Isabel Jonet, afirmou à RTP apesar do aumento da inflação houve mais doações.

"Foi um pouco surpreendente por causa da situação que se vive em termos inflacionistas e também de aumento das taxas de juro, que afeta muitas famílias. Pensávamos que poderíamos ter os sacos menos cheios", afirmou Isabel Jonet.

Segundo a presidente da federação dos Bancos Alimentares contra a Fome, "o que verificámos é que mesmo que os sacos pudessem vir menos cheios tivemos muitos mais sacos".

"Só no fim de semana foram recolhidas 2085 toneladas de alimentos e em especial os bens mais básicos. Aqueles que fazem parte da mesa de qualquer português. Estamos a falar de leite, massa, arroz do azeite".

Isabel Jonet realçou ainda que "os armazéns dos 21 Bancos Alimentares contra a Fome estão completamente a postos para continuar a manter a alimentação a muitos portugueses".

Os donativos vão permitir ajudar cerca 400 mil pessoas.

Os alimentos recolhidos vão começar a ser distribuídos já a partir da próxima semana, contribuindo para ajudar a suprir as necessidades alimentares de cerca de 400 mil pessoas, apoiadas por 2.600 instituições, quer através de cabazes de alimentos, quer através de refeições confecionadas, indicou a federação.

Até 4 de dezembro, decorre também a campanha "Ajuda de Vale", com vales disponíveis em todos os supermercados, cada um com um código de barras específico, correspondente ao alimento selecionado para doação, cujo valor é acrescentado no ato do pagamento, ou no "site" www.alimentestaideia.pt, um portal de doações "online".
pub