Bebé de dois anos retirada à força à mãe para ser entregue ao pai

| País
Bebé de dois anos retirada à força à mãe para ser entregue ao pai

A ver: Bebé de dois anos retirada à força à mãe para ser entregue ao pai

Uma bebé de dois anos foi retirada à força pela GNR enquanto estava a ser amamentada.

A mãe descreve que cinco militares da Guarda a prenderam à cama e levaram-lhe a filha para a entregarem ao pai.

A GNR assegura que a retirada aconteceu sem incidentes, mas o certo é que o despacho do juíz do tribunal de família e menores do Barreiro dizia expressamente que a Guarda poderia recorrer à força.

O caso torna-se ainda mais chocante pela desproporcionalidade da decisão face aos factos descritos no despacho que deu origem à alteração da guarda provisória da criança.

A mãe mudou de morada e agora só pode ver a filha de 15 em 15 dias, pelo que - contra pareceres médicos - fica proibida de a continuar a amamentar.

A informação mais vista

+ Em Foco

O antigo procurador-geral da República do Brasil revelou à RTP que já recebeu várias ameaças de morte e defendeu uma reforma profunda do sistema político brasileiro.

Quando Ana Paula Vitorino indicou Lídia Sequeira, a economista ainda era gerente da sua empresa, o que viola a lei em matéria de incompatibilidades e o dever de imparcialidade.

Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

    O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.