Britânica atacada com ácido em Alvor congratula-se com pena aplicada ao ex-namorado

| País

A cidadã britânica atacada com ácido em maio de 2017 no Algarve congratulou-se hoje com a pena de prisão de 12 anos aplicada na quinta-feira ao ex-namorado pelo Tribunal de Portimão, considerando que "foi feita justiça".

"As cicatrizes físicas e mentais do que aconteceu comigo em maio de 2017, jamais terão cura, mas a longa pena de prisão aplicada a Gouveia (ex-namorado) ajudará a avançar com a minha vida, ao saber que foi feita justiça", lê-se numa nota enviada à agência Lusa por Ellie Chessell.

O Tribunal de Portimão condenou na quinta-feira, o ex-namorado Cláudio Gouveia a 12 anos de prisão, por considerar que o mesmo ordenou o ataque com ácido a Ellie, concretizado por um outro homem, perto da localidade de Alvor, em Portimão, no distrito de Faro.

O coletivo de juízes do Tribunal de Portimão deu como provados os dois crimes de que Cláudio Gouveia, de 34 anos, estava acusado, condenando-o a 10 anos e seis meses de prisão por um crime de homicídio qualificado na forma tentada e a três anos de prisão por um crime de violência doméstica, aplicando-lhe a pena única de 12 anos em cúmulo jurídico.

O arguido, para quem o Ministério Público pediu a pena máxima de prisão - 25 anos -, foi ainda condenado ao pagamento de uma indemnização à ex-namorada e à pena acessória de proibição de contacto com a vítima pelo período de cinco anos.

"Espero que a longa sentença de prisão lhe dê tempo para refletir sobre a gravidade dos seus crimes e que ajude a dissuadir outros indivíduos de realizarem atos tão horríveis", lê-se na nota enviada pela cidadã britânica.

Segundo Ellie Chessell, "os últimos 12 doze meses foram um pesadelo" para si e para a sua família, realçando que os ataques com ácido, "são dos crimes mais perversos", manifestando todo o apoio a todas as vítimas deste tipo de crimes.

"O meu coração está com todas as vítimas destes crimes que demonstraram tamanha bravura e coragem ao levar os seus autores à justiça", sublinhou a cidadã britânica, agradecendo aos profissionais de saúde do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, e de Odstock (Reino Unido), a assistência médica e o apoio que lhe permitiram reconstruir a sua vida.

Os agradecimentos estendem-se ainda à polícia portuguesa pela "investigação longa e complexa", ao tribunal pela condenação de Cláudio Gouveia e ao consulado britânico em Portimão, pelo apoio em todo o processo.

Tópicos:

Alvor, Cláudio Gouveia, Odstock,

A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em 1995, dois estudantes desenvolveram um motor de pesquisa. Dois anos depois, Andy Bechtolsheim passou um cheque no valor de 100 mil dólares. Nesse dia, fez-se história: a Google nasceu.

        Os novos desenvolvimentos no diferendo comercial entre os Estados Unidos e a China vieram lançar ainda mais dúvidas sobre os próximos passos que os dois lados poderão adotar.