Câmara de Gaia planeia construir edifício de serviços no valor de 14 milhões de euros

por Lusa

A câmara de Vila Nova de Gaia revelou hoje que vai construir um edifício de serviços, projeto no valor de 14 milhões de euros, no centro cívico da cidade, enquadrando-o na zona onde nascerá o centro de congressos.

"Pode não ser uma obra para este mandato, mas está nos planos. É uma obra pensada na lógica de planeamento do miolo da cidade, enquadrando [o edifício de serviços] no espaço onde vai surgir o centro de congressos, onde está já o edifício da Assembleia Municipal, e junto à praça renovada que agora fica nas traseiras da Câmara", descreveu aos jornalistas esta tarde Eduardo Vítor Rodrigues.

O autarca falava à margem de uma reunião camarária, na qual o vice-presidente da câmara de Vila Nova de Gaia, Patrocínio Azevedo, apresentou o projeto estimado em 14 milhões de euros.

O edifício será para localizar entre as ruas General Torres e a 20 de Junho.

De acordo com o vice-presidente, que é também vereador das pastas de Vias Municipais e Obras Municipais, e adjunto de Eduardo Vítor Rodrigues para paro a área do Planeamento Urbanístico, o edifício terá cerca de 8.000 metros quadrados de área de serviços, sendo objetivo "melhorar a eficácia e a eficiência" no atendimento aos munícipes.

"Resolverá os problemas que temos, uma vez que temos os serviços espalhados pela cidade", disse Patrocínio Azevedo.

Para levar a cabo este projeto, a câmara de Gaia, de maioria socialista, aprovou esta tarde, com a abstenção do PSD, uma permuta de terrenos, ficando a autarquia, através do Fundo Imobiliário Fechado, dona do terreno do gaveto da General Torres com a 20 de Junho e um outro proprietário com um terreno na rua Álvares Cabral.

Já à margem da sessão, Eduardo Vítor Rodrigues explicou que "o fundo constrói e a câmara paga ao fundo por via da renda" e que "o proprietário do terreno que interessa à autarquia para instalar o edifício de serviços queria uma capacidade construtiva que não era possível naquele local, mas é possível no terreno permutado".

A reunião camarária desta tarde de Vila Nova de Gaia, no distrito do Porto, também ficou marcada pelo anúncio de que a câmara está a preparar estudos sobre a implementação de uma rede de ciclovias na malha urbana do concelho, nomeadamente em anta Marinha, Mafamude e Canidelo.

"Já existe rede de lazer na orla marítima. Queremos estudar a hipótese de fazer uma para contexto diário e de serviços", disse Eduardo Vítor Rodrigues que vê este tipo de projetos ligados aos meios suaves de mobilidade como, disse, "uma inevitabilidade" na lógica de "cidades sustentáveis" de futuro.

Tópicos
pub