Cartaxo e Salvaterra de Magos suspendem circulação na Ponte Rainha D. Amélia

| País

As Câmaras Municipais do Cartaxo e de Salvaterra de Magos decidiram suspender a circulação na centenária ponte Rainha D. Amélia, que atravessa o Tejo ligando Porto de Muge a Muge, a partir das 20:00 de hoje.

A decisão é justificada com o "agravamento previsto das condições atmosféricas, com ocorrência de ventos fortes, resultantes da tempestade Félix" e também devido ao aumento do caudal do Rio Tejo, e respetiva corrente, recordando os dois municípios, num comunicado conjunto, que foi acionado o Plano Especial de Emergência para as Cheias na Bacia do Tejo.

Por outro lado, os executivos municipais do Cartaxo e de Salvaterra de Magos (ambos do distrito de Santarém) sublinham que aguardam, há várias semanas, "os relatórios técnicos [sobre o estado da ponte] solicitados à Infraestruturas de Portugal e cujo resultado ainda não conhecem".

Os dois municípios afirmam que a decisão foi tomada com o conhecimento das Infraestruturas de Portugal (IP), e em coordenação com o Comando Distrital da GNR e com o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém.

"O presidente da Câmara Municipal do Cartaxo, Pedro Magalhães Ribeiro, e o presidente da Câmara Municipal de Salvaterra de Magos, Hélder Manuel Esménio, consideram a segurança das pessoas o primeiro valor a preservar", afirma a nota.

Os dois autarcas asseguram que a circulação será reaberta assim que a IP garanta que esta "pode ser retomada com total segurança para pessoas e veículos e/ou logo que as condições atmosféricas que justificaram a adoção desta medida excecional estejam ultrapassadas".

O comunicado recorda que os dois municípios colocaram, no passado dia 14 de fevereiro, limitações à circulação a 30 quilómetros/hora e a veículos até 3,5 toneladas "nesta importante infraestrutura regional, em resultado das recomendações preliminares oriundas da IP".

Nessa ocasião, foram anunciadas "medidas a adotar de imediato", como a reparação dos apoios do tabuleiro, danificados pelo excesso de carga, dada a "utilização abusiva" da ponte por veículos que "ultrapassam largamente as restrições impostas" pela então Junta Autónoma de Estradas (JAE), na altura da adaptação da ponte ferroviária em rodoviária (1996).

Tópicos:

Autónoma, Cartaxo Magalhães, Cheias, Mau, Muge, Rainha D Amélia Redação, Salvaterra Ms Hélder, Socorro CDOS,

A informação mais vista

+ Em Foco

Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

    Em 1995, dois estudantes desenvolveram um motor de pesquisa. Dois anos depois, Andy Bechtolsheim passou um cheque no valor de 100 mil dólares. Nesse dia, fez-se história: a Google nasceu.

      A Austrália enfrenta a maior seca de que há memória, afetando agricultores e criação de gado.