Caso Comandos: Pais das vítimas pedem 650 mil euros de indemnização

| País

|

Os familiares das duas vítimas mortais que morreram no curso de comandos pedem indemnizações ao Estado que rondam os 650 mil euros. A família de Hugo Abreu já entregou um pedido de indemnização civil que é superior a 300 mil euros e a família de Dylan da Silva vai fazer um pedido no valor de 350 mil euros. O caso deverá ser decidido no julgamento.

Hugo Abreu e Dylan da Silva morreram em setembro de 2016 durante a Prova Zero do 127.º Curso de Comandos. Agora, os pais pedem ao Estado e restantes arguidos uma indemnização de, pelo menos, 650 mil euros pelos danos sofridos.

“Defraudados pela confiança que depositaram no Exército Português, a quem o filho estava confiado”, foi desta forma que se sentiram os pais de Hugo Abreu, uma das duas vítimas mortais deste caso que remonta a setembro de 2016, avança esta segunda-feira o jornal Público.

Os pais deste jovem reclamam os 300 mil euros. O pedido de indemnização civil, entregue no dia 12 de julho, pelo advogado da família, Ricardo Sá Fernandes, assume “um valor global nunca inferior a 300 mil euros”, repartido entre 200 mil a título de indemnização por perda do direito à vida e 30 mil por danos sofridos pela vítima, e 70 mil pelos danos sofridos pelos pais.

Já o advogado Pedro Saraiva, em representação da família de Dylan da Silva, que morreu no Hospital Curry Cabral uma semana depois de Hugo Abreu, vai entregar em breve um pedido de indemnização, nos mesmos moldes, embora com um valor superior: 350 mil euros, refere o memso jornal.

“O nosso pedido é maior devido a este compasso de sofrimento até à morte e todo esse sofrimento é indemnizável (…) O Dylan esteve em coma induzido, mas teve fases em que esteve consciente”, explicou Pedro Saraiva.

De acordo com o mesmo jornal, os pedidos vão ser juntos à acusação finalizada em 20 de junho pela procuradora Cândida Vilar, que deu por terminado o inquérito em que foi coadjuvada pela Polícia Judiciária Militar. É no julgamento que será apreciada a questão civil, juntamente com a questão criminal, se se confirmar que o caso segue para tribunal.

Recorde-se que no final de junho, o Ministério Público avançou com 489 acusações contra 19 militares ligados ao 127.º curso de Comandos, no âmbito do processo em que se investigavam as circunstâncias que levaram à morte dos instruendos. Ao todo, estão em causa crimes de abuso de autoridade por ofensas à integridade física.

Tópicos:

Curso Comandos, Estado, indemnizações,

A informação mais vista

+ Em Foco

Um mês depois dos incêndios, ainda há raízes em combustão sob a terra no concelho de Pedrógão Grande. Reunimos aqui um conjunto de vídeos em 360 graus captados no local.

A 17 de junho, Portugal começou a assistir ao mais mortífero incêndio de sempre. A paisagem de Pedrógão Grande mantém-se em tons de sépia. Um cenário captado pelo fotojornalista Pedro A. Pina.

    Nos últimos dois anos a RTP ouviu três vozes com diferentes perspetivas do conflito israelo-palestiniano: Miko Peled, Shahd Whadi e Tamir Ginz.

    Natalidade, envelhecimento, turismo, agricultura, emigração, pobreza, saúde, desigualdades. A caminho das autárquicas a Antena 1 fixa o país em 20 retratos.