Condutor que fugiu à GNR de Castelo Branco na quarta-feira continua a monte

| País

A GNR de Castelo Branco continua a patrulhar o terreno para encontrar o condutor que na quarta-feira se pôs em fuga após uma ação de fiscalização na localidade de Maxiais e que resultou em agressões a um militar.

"Foram tomadas as medidas convenientes e está a dar-se seguimento a essas medidas", disse hoje à agência Lusa fonte do Destacamento Territorial de Castelo Branco da GNR.

A mesma fonte adiantou que, até ao momento, a situação mantém-se, com o condutor em fuga.

O fugitivo não obedeceu à ordem de paragem, dada pelos militares da GNR durante uma ação de fiscalização, na quarta-feira, próximo da localidade de Maxiais, colocando-se em fuga.

A viatura onde seguiam mais quatro pessoas, três mulheres e um homem, foi perseguida pelas autoridades e acabou por se imobilizar depois de se despistar.

Um dos militares conseguiu apanhar o condutor, mas acabou por ser agredido com pedras, alegadamente pelas mulheres que seguiam na viatura, tendo o condutor encetado uma fuga a pé.

Na quinta-feira, as alegadas agressoras, duas mulheres, foram presentes ao Tribunal de Castelo Branco, que lhes decretou, como medida de coação, a apresentação periódica às autoridades.

A informação mais vista

+ Em Foco

Veja ou reveja a primeira entrevista de Rui Rio depois de ter sido eleito presidente do PSD.

Na hora da despedida da liderança social-democrata, as juventudes partidárias olham para o legado do ex-primeiro-ministro, com uma pergunta em mente: se Portugal não falhou, o que dizer de Pedro Passos Coelho?

    Em entrevista ao programa Visão Global da Antena 1, o ministro dos Negócios Estrangeiros reforça o apoio ao diálogo político na Venezuela e falou sobre as relações entre Portugal e Angola.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.