Congresso quer debater reinserção e futuro de vítimas queimadas

| País

O XI Congresso Nacional de Queimados, que se realiza no fim de semana, assinala o incêndio ocorrido há um ano em Pedrógão Grande mas quer debater a reinserção e futuro das vítimas queimadas, anunciou a organização.

"O nosso congresso é mais virado para o futuro do que para o passado, queremos olhar para a reinserção social das vítimas e para o tratamento e acompanhamento delas", disse à agência Lusa o cirurgião Celso Cruzeiro, presidente da Associação Amigos dos Queimados (AAQ), promotora do evento.

Adiantou que a escolha do local do congresso - intitulado "Renascer, Um Ano Depois" - num hotel da localidade de Pedrógão Pequeno, com vista para a zona de Pedrógão Grande, e a data - o fim de semana de 16 e 17 de junho - deriva "obviamente da passagem de um ano sobre o grande incêndio que assolou a região e a vontade de fazer uma homenagem às vítimas".

O médico especialista em cirurgia plástica e reconstrutiva sublinhou o "trabalho enorme" que espera uma vítima queimada após sair do hospital: "Quando sai, está desamparado, tem de lidar com a família e amigos, que também não estão preparados, porque um doente queimado é um doente crónico, é um doente para toda a vida", enfatizou Celso Cruzeiro.

Para além da questão física de um paciente que sofreu queimaduras, o cirurgião frisa que a parte psicológica "fica definitivamente afetada" e deve obrigar a um acompanhamento da vítima.

"Os cirurgiões ficam contentes com o trabalho que fazem e que é motivo de orgulho, mas, muitas vezes, quando saem dos hospitais, é a partir daí que começa o problema. Muitas pessoas caem no deserto e precisam de muito apoio e é isso que queremos alertar com este congresso. E é precisamente esse o lema, renascer", argumentou Celso Cruzeiro.

No sábado, primeiro dia do congresso, o programa inclui, às 10:30, a conferência "Algumas Lições dos Incêndios de 2017", por Xavier Viegas, diretor do Laboratório de Estudos sobre Incêndios Florestais e, uma hora depois, a mesa redonda "Prevenção das Queimaduras", moderada por Ricardo Mexia, presidente da Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública.

Da parte da tarde, o programa inclui, entre outras iniciativas, a História do Tratamento de Queimados em Portugal, pelo próprio Celso Cruzeiro, e uma conferência intitulada "Para Além do Curar. A Intervenção Reparadora do Direito", pelo ex-presidente do Tribunal Constitucional Joaquim Sousa Ribeiro, que fez parte do Conselho nomeado pelo Governo para estabelecer os critérios indemnizatórios aos familiares das vítimas mortais e feridos graves.

No domingo, a XI edição do Congresso Nacional de Queimados - iniciativa bienal que se realiza desde 1997 e que se constitui como uma "ponto de encontro de todos os profissionais e doentes ligados à temática" - promove um debate alargado, a partir das 10:00, com a presença de diversas personalidades, incluindo o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, os ministros da Administração Interna, Eduardo Cabrita, Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, e Adjunto, Pedro Siza Vieira, os bastonários da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, e Ordem dos Enfermeiros, Ana Rita Cavaco, e o presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Jaime Soares, entre outros.

Tópicos:

Adto Siza, Cita, Enfermeiros Rita, Incêndios Florestais, Lições Incêndios, Pedrógão, Tratamento,

A informação mais vista

+ Em Foco

Uma semana após a extinção do incêndio de Monchique, a televisão pública esteve no barlavento algarvio com uma emissão especial sobre o cíclico flagelo dos incêndios e as alterações climáticas.

    Fãs de Aretha Franklin homenagearam a icónica cantora norte-americana em várias cidades dos Estados Unidos. A rainha da Soul morreu na manhã de quinta-feira na sua casa em Detroit.

      Uma parte central da Ponte Morandi, em Génova, Itália, desabou na manhã de terça-feira durante uma tempestade. Morreram dezenas de pessoas.

        Há uma nova rota turística pela cidade de Lisboa, baseada em memórias de lisboetas mais antigos. São beneficiários da Associação Mais Proximidade Melhor Vida.