Contratação de técnicos de emergência médica pré-hospitalar abre guerra no INEM

| País
Contratação de técnicos de emergência médica pré-hospitalar abre guerra no INEM

A ver: Contratação de técnicos de emergência médica pré-hospitalar abre guerra no INEM

O INEM gastou mais em meios aéreos, mas continua com os mesmos médicos e enfermeiros. Contratou apenas técnicos de emergência médica pré-hospitalar, uma nova classe profissional dentro da função pública que abriu uma guerra interna na instituição.

Há 100 recém-contratados que estão a receber ordenado do Estado, mas que não terminaram sequer a formação porque alguns módulos estão parados.

A Ordem dos Enfermeiros proibiu os profissionais de darem este curso que foi, no entanto, aprovado pela Ordem dos Médicos.

Entretanto, o INEM está a ser investigado pelo Ministério Público pela alegada negligência na tragédia de Pedrogão Grande e os problemas no socorro mantêm-se, como o Sexta às 9 confirmou no terreno.

A informação mais vista

+ Em Foco

O antigo procurador-geral da República do Brasil revelou à RTP que já recebeu várias ameaças de morte e defendeu uma reforma profunda do sistema político brasileiro.

Quando Ana Paula Vitorino indicou Lídia Sequeira, a economista ainda era gerente da sua empresa, o que viola a lei em matéria de incompatibilidades e o dever de imparcialidade.

Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

    O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.