Corpo do militar português morto no Mali chega quarta-feira a Ovar

| País

O corpo do militar português morto no domingo num ataque terrorista no Mali deverá chegar na madrugada de quarta-feira à base de Ovar, transportado por um C-130 da Força Aérea, disse à Lusa fonte do ministério da Defesa.

Um avião C-130 da Força Aérea Portuguesa partiu hoje para o Mali para transportar os restos mortais do militar para Portugal, sendo aguardado na base militar de Ovar durante a madrugada de quarta-feira.

O ministro da Defesa Nacional, Azeredo Lopes, estará presente no aeródromo militar, em Maceda, Ovar, acrescentou a mesma fonte.

Gil Fernando Paiva Benido, natural de Valongo, 42 anos, integrava desde maio o contingente nacional na missão da União Europeia no Mali, sediada em Bamako, e era adjunto do oficial de transmissões da força portuguesa.

O local onde ocorreu o ataque, Hotel Le Campement Kangaba, "é reconhecido e autorizado pela Missão de Treino no Mali - ao serviço da qual estava o militar - como `Wellfare Center´ entre os períodos de atividade operacional dos militares que prestam serviço naquele país, segundo o Estado-Maior General das Forças Armadas.

O militar morreu "devido a confrontos ocorridos na sequência de um ataque de elementos rebeldes que provocou outras baixas entre elementos de outros contingentes", segundo uma nota do Exército divulgada segunda-feira.

Outros militares ficaram feridos, "incluindo um português", que "já se encontra completamente recuperado", refere a mesma nota.

Um inquérito "no sentido de esclarecer as circunstâncias que envolveram o ataque terrorista em Bamako" já foi instaurado, adiantou segunda-feira o EMGFA.

A principal aliança `jihadista` do Sahel ligada à Al-Qaida reivindicou entretanto o atentado de domingo perto de Bamako, no Mali, num comunicado divulgado nas redes sociais e noticiado pelas agências privadas mauritanas ANI e Al-Akhbar.

No comunicado, o "Grupo de Apoio ao Islão e aos Muçulmanos" afirma que os três atacantes, pertencentes à etnia fula, morreram no ataque contra estrangeiros que durou várias horas.

 

 

Tópicos:

ANI, Bamako, Gil, Ovar, Treino, Valongo,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em entrevista à RTP, o candidato derrotado nas diretas do PSD diz que o partido deve serenar após o Congresso e admite que vai ser “muito difícil ganhar eleições" no quadro atual.

Nicolás Maduro quer alargar poderes e, para tal, leva a cabo eleições antecipadas. É um "golpe constitucional", na leitura de Filipe Vasconcelos Romão, comentador da Antena 1.

Abrir uma torneira e vê-la jorrar água. É um ato tão comum que nunca imaginamos um dia em que tal quadro possa desaparecer. Algo que está prestes a tornar-se realidade na África do Sul.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.