Desconvocada greve de enfermeiros marcada para o fim do mês

| País

No passado dia 4 de outubro, os sindicatos enviaram um pré-aviso aos ministérios da Saúde, do Trabalho e Segurança Social, das Finanças e da Administração Interna
|

A greve marcada pelo Sindicato Independente dos Profissionais de Enfermagem (SIPE) e pelo Sindicato dos Enfermeiros (SE) entre 23 e 27 de outubro foi desconvocada, anunciou hoje fonte sindical.

A mesma fonte adiantou que na origem desta desconvocação está o facto de o Governo ter aceitado iniciar a renegociação da carreira de enfermagem, o que deverá acontecer a partir da próxima segunda-feira.

No passado dia 4 de outubro, os sindicatos enviaram um pré-aviso aos ministérios da Saúde, do Trabalho e Segurança Social, das Finanças e da Administração Interna.

Os fundamentos desta greve eram "a negociação de um Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) que contemple", entre outros aspetos, a "uniformização de horários de trabalho para 35 horas semanais" e a "introdução da categoria de enfermeiros especialistas, nas especialidades criadas ou a criar".

A "definição da hierarquia da enfermagem, constituída pelo enfermeiro diretor de serviço, de departamento, de instituição ou região" e a "revisão das tabelas remuneratórias, com índice e escalões adequados, quer na promoção, quer na progressão periódica da respetiva categoria" eram outras das reivindicações destes dois sindicatos, que constituem a Federação Nacional dos Sindicatos de Enfermagem (FENSE).

Os sindicatos reclamavam ainda a "anulação ou revogação de quaisquer atos de marcação de faltas injustificadas ou procedimentos disciplinares abertos, na sequência ou com fundamento na participação no movimento dos enfermeiros especialistas, bem como decorrentes da greve convocada pela FENSE para os dias 11 a 15 de setembro".

Tópicos:

Enfermeiros, Greve, Sindicato,

A informação mais vista

+ Em Foco

Quando Ana Paula Vitorino indicou Lídia Sequeira, a economista ainda era gerente da sua empresa, o que viola a lei em matéria de incompatibilidades e o dever de imparcialidade.

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

      Os novos desenvolvimentos no diferendo comercial entre os Estados Unidos e a China vieram lançar ainda mais dúvidas sobre os próximos passos que os dois lados poderão adotar.