Festival Santa Casa Alfama abre esta noite

por Lusa
Em Alfama canta-se o fado hoje e amanhã D.R.

Mais de 50 artistas, entre eles, Aldina Duarte, Maria da Fé, Ricardo Ribeiro, Jorge Fernando e Dulce Pontes, participam no Festival Santa Casa Alfama, que abre esta sexta-feira à noite em Lisboa, onde permanece até sábado.

No palco Santa Casa, é realizada hoje uma homenagem a Max (1918-1980), o criador de “Noites da Madeira” e de “A Mula da Cooperativa", por António Zambujo, acompanhado pelos músicos André Santos, Joel Silva, Francisco Brito, Graciano Caldeira, Gustavo Paixão e Bruno Ponte. 

Nas paredes do Terminal de Cruzeiros será também exibido um "vídeomapping" sobre a carreira do criador de “A Rosinha dos Limões”.

Na edição deste ano, os espetáculos no palco instalado junto ao Terminal de Cruzeiros, frente ao rio Tejo, serão interpretados em língua gestual portuguesa.

O maior festival de fado do mundo está de regresso em setembro para mais dois dias de celebração da nossa música.

Alfama volta a encher-se de fado para um festival que já conquistou o coração do público. 

Os diversos palcos do Santa Casa Alfama espalham-se pelo bairro, criando a sensação de que ali o fado pode acontecer em qualquer lugar e de que qualquer beco, viela ou praça é capaz de se transformar numa casa de fados. 

Mais do que um festival de música, este evento transforma-se assim numa experiência em que o público é convidado a tocar na alma portuguesa, deambulando por um bairro cheio de histórias das gentes fadistas.

Esta sexta-feira o Palco Santa Casa recebe o grande concerto de Homenagem a Max por António Zambujo e Convidados e no dia 24 (sábado) o mesmo palco recebe a voz poderosa de Dulce Pontes com o convidado Ricardo Ribeiro.

pub