Fogo que começou na Guarda já atingiu o concelho de Almeida

| País

O incêndio que esta tarde começou no concelho da Guarda entrou no concelho de Almeida e tem quatro frentes que avançam em direção a quatro freguesias, disse à agência Lusa o presidente da Câmara de Almeida.

Segundo o autarca de Almeida, António Baptista Ribeiro, pelas 22:50 o incêndio rural seguia "ao longo de toda a Ribeira das Cabras", em direção às freguesias de Freixo, Parada, Cabreira e Amoreira.

"Não há vento, mas o incêndio está complicado. Está a lavrar nas duas margens da Ribeira das Cabras e com quatro frentes muito ativas", referiu o presidente da Câmara Municipal de Almeida, que está no terreno a acompanhar a situação.

O autarca acrescentou que, pelas informações que possui do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) da Guarda, não há nenhuma habitação atingida pelas chamas.

Contou que na aldeia de Freixo decorria esta noite um convívio com um grupo de espanhóis, que incluía a atuação de um rancho folclórico do país vizinho, tendo o espetáculo sido cancelado devido à proximidade do incêndio.

O fogo começou pelas 13:15 em Rochoso, no concelho da Guarda, e evoluiu para os concelhos vizinhos de Almeida e do Sabugal.

Pelas 23:15 o fogo rural estava a ser combatido por 272 operacionais e 93 viaturas, segundo informação disponibilizada na página da internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil.

Tópicos:

Baptista, Freixo Parada Ceira, Proteção, Ribeira, Sabugal,

A informação mais vista

+ Em Foco

Os portugueses escolhem os seus representantes locais a 1 de outubro. Acompanhe aqui a campanha, os debates e toda a informação sobre as eleições Autárquicas.

    Veja ou reveja aqui os debates na RTP com os candidatos às presidências das câmaras municipais das 18 capitais de distrito de Portugal Continental. A série é transmitida até 14 de setembro.

      Natalidade, envelhecimento, turismo, agricultura, emigração, pobreza, saúde, desigualdades. A Antena 1 fixa o país em duas dezenas de retratos no caminho para as eleições autárquicas.

        A Alemanha aproxima-se da data do escrutínio de 24 de Setembro com uma economia próspera: muita exportação, muita construção, receitas fiscais abundantes, orçamentos públicos excedentários. O reverso da medalha é a degradação de condições sociais para uma parte significativa da população.