GNR detém seis alegados traficantes e apreende 5.000 doses de haxixe em Évora

| País

Seis homens, entre os 25 e os 49 anos, foram detidos pela GNR, no distrito de Évora, por alegado tráfico de droga, tendo os militares apreendido cinco mil doses de haxixe, revelou hoje aquela força de segurança.

Os suspeitos, anunciou hoje o Comando Territorial de Évora da GNR, foram detidos no domingo e na segunda-feira e, entretanto, foram presentes ao tribunal judicial da sede de distrito.

Segundo a GNR, dois deles, que se encontravam em liberdade condicional, vão aguardar julgamento em prisão preventiva.

Os restantes, continuou a mesma fonte, ficaram sujeitos à obrigação de apresentações periódicas no posto policial da área de residência.

A ação policial, desenvolvida pelo Núcleo de Investigação Criminal de Évora, representou o "culminar de uma investigação, que decorria há cerca de um ano", assinalou a GNR.

Dois dos homens, precisou, foram detidos em flagrante delito, "quando se faziam transportar numa viatura tendo na sua posse produtos estupefacientes".

Os outros quatro suspeitos, acrescentou, foram detidos através do cumprimento de mandados de detenção.

Na operação, que incluiu seis buscas domiciliárias e uma a um estabelecimento, os militares apreenderam, além das cinco mil doses de haxixe, um veículo automóvel, 12 telemóveis, 415 euros em numerário e diverso material relacionado com o tráfico e venda de droga.

Tópicos:

Territorial,

A informação mais vista

+ Em Foco

A 15 de outubro de 2017, uma vaga de incêndios fez 50 mortos e dezenas de feridos. Reunimos aqui um conjunto de reportagens elaboradas um ano depois da catástrofe.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

      Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

        Logo após a recuperação das armas roubadas, o ex-chefe do Estado-Maior do Exército proibiu a PJ de entrar na base de Santa Margarida.