Governo cria passaporte para viajante frequente com vinheta em braille

| País

O Conselho de Ministros aprovou hoje a criação de um novo tipo de passaporte -- o passaporte para viajante frequente - que inclui uma vinheta em escrita braille para os cidadãos invisuais.

"O novo modelo de passaporte português para viajantes frequentes conta com mais páginas que o passaporte comum, 48 em vez de 32, permitindo reduzir as necessidades de renovação do documento, o que garante aos titulares uma poupança significativa nos tempos de espera, nas deslocações e nos custos que lhe estão associados", lê-se num comunicado distribuído aos jornalistas.

O comunicado, distribuído durante a conferência de imprensa no final do Conselho de Ministros, realizado em Matosinhos, refere que o novo passaporte incluirá uma vinheta em braille para os cidadãos invisuais, para promover a inclusão.

O Governo prevê ainda a possibilidade de a emissão de passaporte poder ser feita online em caso de extravio, destruição ou furto no estrangeiro.

"Procurando prosseguir uma política uniforme de segurança dos documentos de viagem, alinhada com as normas de segurança aplicáveis ao passaporte eletrónico português, todos os documentos de viagem portugueses passam a seguir o modelo de passaporte eletrónico português, nomeadamente o especial e para estrangeiros", acrescenta a nota.

A informação mais vista

+ Em Foco

No 20.º aniversário da Exposição Universal sobre os Oceanos, a Antena 1 e a RTP estiveram à conversa com alguns dos protagonistas do evento.

    Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

      Portugal foi oficialmente um país neutro na 2ª guerra Mundial. Mas isso não impediu que quase mil portugueses tivessem sido deportados, feitos prisioneiros ou escravos pelos nazis.

        Uma caricatura do mundo em que vivemos.