Interação de ciclones tropicais mantém aviso de chuva no grupo Oriental dos Açores

| País

|

A instabilidade provocada pela interação dos ciclones tropicais Helene e Joyce deverá continuar a afetar o estado do tempo no grupo Oriental dos Açores, com chuva forte e por vezes acompanhada de trovoada, anunciou este domingo a Proteção Civil.

"O Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores informa que, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, uma zona de instabilidade, resultante da interação entre os ciclones tropicais Helene, que continua a afastar-se do arquipélago, e Joyce, que passará a mais de 250 quilómetros a sul dos Açores, deve condicionar o estado do tempo no grupo Oriental, prevendo-se a ocorrência de precipitação forte", refere um comunicado distribuído esta tarde.

As duas ilhas deste grupo - São Miguel e Santa Maria - estão, por isso, sob dois avisos amarelos devido a precipitação e trovoada.

O aviso amarelo, o terceiro menos grave de uma escala de quatro, condiciona determinadas atividades em função das condições meteorológicas.

A Proteção Civil regional recomenda medidas de autoproteção, como cuidados na circulação e a manutenção dos sistemas de drenagem.

Foram registadas 10 ocorrências, na noite de sábado e na madrugada de hoje, devido à passagem da tempestade tropical Helene, mas "sem danos humanos, nem materiais".

"A maioria das situações ocorreu na ilha das Flores, mas sem provocar danos humanos, nem materiais, estando relacionadas com quedas de árvores e uma pequena derrocada", adiantou, em comunicado.

Segundo o presidente da Proteção Civil dos Açores, Carlos Neves, "foram pequenas situações que, em alguns casos, obstruíram estradas, mas que foram prontamente resolvidas".

A passagem da tempestade tropical Helene deixou todas as ilhas do arquipélago sob avisos amarelo, laranja ou - nos casos das Flores e do Corvo - vermelho (o mais grave), devido às previsões de precipitação forte, vento e agitação marítima.

Tópicos:

Helene, tempestade, Açores,

A informação mais vista

+ Em Foco

Quando Ana Paula Vitorino indicou Lídia Sequeira, a economista ainda era gerente da sua empresa, o que viola a lei em matéria de incompatibilidades e o dever de imparcialidade.

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

      Os novos desenvolvimentos no diferendo comercial entre os Estados Unidos e a China vieram lançar ainda mais dúvidas sobre os próximos passos que os dois lados poderão adotar.