Mais de 26 mil armas de fogo e brancas destruídas em 2017 pela PSP

| País

Mais de 26 mil armas de fogo e armas brancas foram destruídas pela Polícia de Segurança Pública em 2017, indicou hoje aquela força de segurança.

Numa nota, a Direção Nacional da PSP refere que, durante o ano de 2017, realizou sete destruições de armas, totalizando 26.473 armas de fogo e armas brancas eliminadas.

A primeira ação realizada em 2018 aconteceu, na segunda-feira, tendo a PSP, através do Departamento de Armas e Explosivos, destruído um total de 3.133 armas de fogo e brancas, adianta a Polícia.

Segundo a PSP, as armas destruídas foram declaradas como perdidas a favor do Estado no âmbito de processos-crime, contraordenação ou administrativos, depois de terem sido apreendidas em todo país em operações policiais de combate ao crime.

A PSP sublinha que integraram ainda o lote as armas entregues voluntariamente ao Estado pelos seus detentores ou achadores.

De acordo com aquela força de segurança, pistolas, revólveres, espingardas, punhais, navalhas e espadas constituíram quase a totalidade das armas destruídas.

A PSP refere ainda que, dado "o estado de degradação em que se encontram" as armas e "a sua inutilidade para a atividade operacional, formativa, cultural, museológica ou outra das forças de segurança", o diretor nacional da PSP decidiu ordenar "a sua adequada e preventiva destruição".

 

A informação mais vista

+ Em Foco

Abrir uma torneira e vê-la jorrar água. É um ato tão comum que nunca imaginamos um dia em que tal quadro possa desaparecer. Algo que está prestes a tornar-se realidade na África do Sul.

    Foram sinalizados casos de mutilação genital numa escola da Baixa da Banheira. Uma associação trabalha com turmas. Ainda há rapazes que defendem a "submissão" como "saudável".

      Eram muito jovens quando chegaram a Old Trafford. Há 60 anos o mundo chorou a perda de uma das melhores equipas de sempre em Inglaterra, treinada por Matt Busby.

        Uma caricatura do mundo em que vivemos.