Mais de 26 mil armas de fogo e brancas destruídas em 2017 pela PSP

| País

Mais de 26 mil armas de fogo e armas brancas foram destruídas pela Polícia de Segurança Pública em 2017, indicou hoje aquela força de segurança.

Numa nota, a Direção Nacional da PSP refere que, durante o ano de 2017, realizou sete destruições de armas, totalizando 26.473 armas de fogo e armas brancas eliminadas.

A primeira ação realizada em 2018 aconteceu, na segunda-feira, tendo a PSP, através do Departamento de Armas e Explosivos, destruído um total de 3.133 armas de fogo e brancas, adianta a Polícia.

Segundo a PSP, as armas destruídas foram declaradas como perdidas a favor do Estado no âmbito de processos-crime, contraordenação ou administrativos, depois de terem sido apreendidas em todo país em operações policiais de combate ao crime.

A PSP sublinha que integraram ainda o lote as armas entregues voluntariamente ao Estado pelos seus detentores ou achadores.

De acordo com aquela força de segurança, pistolas, revólveres, espingardas, punhais, navalhas e espadas constituíram quase a totalidade das armas destruídas.

A PSP refere ainda que, dado "o estado de degradação em que se encontram" as armas e "a sua inutilidade para a atividade operacional, formativa, cultural, museológica ou outra das forças de segurança", o diretor nacional da PSP decidiu ordenar "a sua adequada e preventiva destruição".

 

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

    O Reino Unido está a sobrevalorizar o seu valor como parceiro comercial e vai "sofrer um desastre com o Brexit", alerta Mark Beeson.

    Em abril, uma cimeira histórica entre Coreias reaproximou dois países de costas voltadas há mais de 60 anos. O que esperar do futuro?

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.