Mais de 26 mil armas de fogo e brancas destruídas em 2017 pela PSP

| País

Mais de 26 mil armas de fogo e armas brancas foram destruídas pela Polícia de Segurança Pública em 2017, indicou hoje aquela força de segurança.

Numa nota, a Direção Nacional da PSP refere que, durante o ano de 2017, realizou sete destruições de armas, totalizando 26.473 armas de fogo e armas brancas eliminadas.

A primeira ação realizada em 2018 aconteceu, na segunda-feira, tendo a PSP, através do Departamento de Armas e Explosivos, destruído um total de 3.133 armas de fogo e brancas, adianta a Polícia.

Segundo a PSP, as armas destruídas foram declaradas como perdidas a favor do Estado no âmbito de processos-crime, contraordenação ou administrativos, depois de terem sido apreendidas em todo país em operações policiais de combate ao crime.

A PSP sublinha que integraram ainda o lote as armas entregues voluntariamente ao Estado pelos seus detentores ou achadores.

De acordo com aquela força de segurança, pistolas, revólveres, espingardas, punhais, navalhas e espadas constituíram quase a totalidade das armas destruídas.

A PSP refere ainda que, dado "o estado de degradação em que se encontram" as armas e "a sua inutilidade para a atividade operacional, formativa, cultural, museológica ou outra das forças de segurança", o diretor nacional da PSP decidiu ordenar "a sua adequada e preventiva destruição".

 

A informação mais vista

+ Em Foco

Saiu a tabela anual das melhores escolas do país. No topo está outra vez o Colégio Nossa Senhora do Rosário, um privado do Porto.

O Governo nunca disse ao país quais são as verdadeiras razões para que não exista até hoje um estudo de impacto ambiental do aeroporto no Montijo.

Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

    Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.