Marcelo exige "apuramento" da verdade

| País
Marcelo exige apuramento da verdade

A ver: Marcelo exige "apuramento" da verdade

Um mês depois, Marcelo Rebelo de Sousa lembra que 64 mortos interpelam o país "exigindo a verdade". É assim que numa mensagem, no site da presidência da República, o Chefe de Estado relembra "a exigência do apuramento total de factos e de responsabilidades, e de reconstrução imediata, em clima de trégua eleitoral local".

"Um mês depois da tragédia, evocando respeitosamente as vítimas, acompanhando a dor dos seus familiares, agradecendo o heroísmo anónimo dos que combateram o fogo e dos que testemunharam e testemunham solidariedade, relembro a exigência de apuramento total de factos e de responsabilidades, e de reconstrução imediata, em clima de trégua eleitoral local, aliás à medida da ilimitada generosidade do povo português.

Sessenta e quatro mortos interpelam-nos, exigindo verdade, convergência e reconstrução, com a humildade de assumirmos que os poderes públicos não corresponderam às expectativas neles depositadas".

No México, onde está a fazer uma visita de dois dias, o Presidente deixou uma mensagem de solidariedade às vitimas dos incêndios de Pedrogão.

A informação mais vista

+ Em Foco

Um mês depois dos incêndios, ainda há raízes em combustão sob a terra no concelho de Pedrógão Grande. Reunimos aqui um conjunto de vídeos em 360 graus captados no local.

A 17 de junho, Portugal começou a assistir ao mais mortífero incêndio de sempre. A paisagem de Pedrógão Grande mantém-se em tons de sépia. Um cenário captado pelo fotojornalista Pedro A. Pina.

    Nos últimos dois anos a RTP ouviu três vozes com diferentes perspetivas do conflito israelo-palestiniano: Miko Peled, Shahd Whadi e Tamir Ginz.

    Natalidade, envelhecimento, turismo, agricultura, emigração, pobreza, saúde, desigualdades. A caminho das autárquicas a Antena 1 fixa o país em 20 retratos.