Marta Temido aborda novas medidas. "São proporcionais à fase em que estamos"

por RTP

Foto: Tiago Petinga - Lusa

Questionada sobre a eventual vacinação de crianças dos cinco aos 11 anos em Portugal, a ministra da Saúde lembrou esta sexta-feira que a comissão técnica ainda não se pronunciou. Quanto às medidas anunciadas na véspera pelo primeiro-ministro, Marta Temido falou de decisões "proporcionais à fase em que estamos".

"Em primeiro lugar, a questão de que estamos com uma taxa de vacinação que nos dá tranquilidade relativa face àquilo que é a doença grave e até as consequências fatais da doença", vincou a governante.

"Por outro lado, também a perceção de que nós estamos integrados num contexto em que em toda a Europa a incidência e a transmissão estão a aumentar e há variantes de preocupação a surgir em alguns pontos do globo", prosseguiu.

O Governo, acentuou Marta Temido, procurou tomar "medidas que, afetando o menos possível a vida e a normalidade de todos, pudessem ter o efeito pretendido de aumento da perceção do risco, incentivo às medidas não farmacológicas de controlo da transmissão e algumas medidas adicionais relativas a viagens e disponibilidade de meios, que são essenciais também".
pub